Deixe um comentário

The Walking Dead – 5×11 – The Distance

the-walking-dead-season-5-the-distanceDepois do que aconteceu na prisão e em Terminus com seus canibais é realmente difícil para este grupo acreditar que existe um lugar seguro com boas pessoas, mas o grupo está em uma situação limite, estão sem comida e água, com uma bebê, por isso onde não poderiam simplesmente descartar rapidamente o convite de Aaron para Alexandria.

Os personagens de The Walking Dead mudaram muito desde o começo da série, cada um sentiu a sua maneira o impacto das muitas derrotas e poucas vitória nestes últimos anos. Com Rick não foi diferente, aquele policial correto e bastante humano foi se transformando em um homem frio e bastante paranóico, quase incapaz de confiar em outro ser humano. Curiosamente Michonne seguiu o caminho contrário, deixou de ser uma pessoa sombria e distante para ser mais humana e até mais otimista do que Rick. Este choque de opostas personalidades entre Rick e Michonne ficou bem evidente na chegada de Aaron.

Rick reagiu com uma cautela diria até exagerada, mas aceitável depois do que aconteceu com os canibais, foi o último acreditar nas palavras de Aaron. A cena da compota de maça foi simples e precisa para refletir sobre a falta de confiança que existia sobre o recém-chegado e até duvidei dele depois de ver o quanto relutou em provar a  maça. Uma forte tensão foi criada sobre Aaron e a sua promessa de um possível paraíso, criando o medo constante de que algo ruim poderia acontecer a qualquer momento.

A situação ficou pior no instante que essa excessiva preocupação de Rick e do grupo levou a todos ao escolherem o caminho mais perigoso e dando de cara com uma horda de zumbi. Essa cena foi muito bem rodada, com as luzes das balas iluminando a noite e com Glenn quase sendo mordido e tendo que tomar a decisão vital de salvar ou não Aaron, no final foi Glenn que tomou a decisão mais importante. Para não deixar passar, o episódio teve uma leve evolução no relacionamento de Abraham e Rosita, o militar aos poucos começa a superar o trauma da decepção com Eugene, foi um ritual de passagem para uma nova fase quando Abe e Rosita olharam ao longe o Monumento a Washington.

Aaron é um personagem que estava bastante ansioso para ver na série, sua calma, paciência e educação mesmo depois de levar um soco de Rick aumentou ainda mais o medo se ele era realmente alguém confiável. Suas palavras foram sinceras desde o começo, principalmente quando citou a tal audição para o grupo entrar em Alexandria e a água que tinha deixado na estrada, no fim coube a tarefa mais difícil para Aaron convencer a essas pessoas a confiarem em um estranho. Uma bela cena quando Aaron reencontrou com Eric, um amor que pareceu bastante verdadeiro e que deu para entender o receio e medo de Aaron sobre Rick e o resto do grupo encontrarem Eric antes dele.

Carol foi perfeita ao dizer que mesmo estando errado, Rick estava certo ao ter agido desta maneira. Andrew Lincoln (Rick) e Danai Gurira (Michonne) fizeram atuações impecáveis neste episódio e foi belíssima cena da chegada do grupo a Alexandria, com a troca de carinho entre os dois. O olhar de Rick mudou e pareceu ficar mais calmo ao ouvir o som das crianças dentro do muro e de que existe uma esperança de uma vida melhor.

Como já li os quadrinhos de TWD estou ansioso para ver como a série vai desenvolver o enredo da chegada do grupo a Alexandria e apresentar os novos personagens que moram no local.

tres_e_meio

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s