Deixe um comentário

The Fosters – 2×21 – The End of the Beginning (Season Finale)

SHERRI SAUM, TERI POLO, JAKE T. AUSTIN, ALEXANDRA BARRETO, MAIA MITCHELL, HAYDEN BYERLYO último episódio da segunda temporada de The Fosters foi um dos melhores deste ano, fechou bem alguns dos principais arcos, outros vão continuar no próximo ano e como já virou tradição na série a última cena deixou um bombástico gancho!

Começo o review falando sobre Jude que orgulhosamente assumiu sua homossexualidade, foi linda a cena de Jude, com as unhas pintadas em forma de protesto, encarado o pai de Connor e depois confessando para Lena sobre ele e Connor. Lena foi maravilhosa ao dizer para o preconceituoso do pai do Connor que ele não pode fugir da verdade, não tem o direito de não querer um filho gay, se ama Connor precisa aceitá-lo completamente. O pai de Connor aos poucos vai se conformar com a novidade tanto que permitiu que Jude e Connor se reencontrassem! Os dois ainda vão enfrentar grandes desafios na luta contra o preconceito e sinto que estão preparados para isso, adorei a confiança de Jude ao contar para Callie que Connor é seu namorado.

Escrevi ao longo desta temporada que o meu amor por Callie foi diminuindo a cada episódio, especialmente por essa chata e longa história da sua adoção. Inicialmente odiei o avô (veterano Patrick Duffy) paterno de Callie, mas em sua sinceridade exagerada o avô apenas disse tudo que eu penso sobre Robert, mas não precisava ter dito isso na frente da Callie. O avô tem razão ao dizer que Robert simplesmente obrigou sua família a aceitar Callie, a esposa de Robert e Sophia gostam de Callie, mas em nenhum momento Robert se preocupou em perguntar a opinião delas sobre essa situação. Todo esse estresse só piorou o problema de Sophia que chegou ao limite, foi ótimo ver Sophia tendo noção do seu problema e disposta a se cuidar.

Robert pode ser um homem grisalho, mas se comporta como um adolescente que quer mostrar para seu pai que o superou e que é melhor que ele, um comportamento ridículo e egocêntrico. A maior verdade dita pelo avô foi dizer para seu filho que jamais conseguirá compensar os erros que cometeu no passado em relação a Callie e só vai piorar a sua relação com ela ao querer tirá-la de um lar onde está feliz! Pela primeira vez Callie e Robert conversaram como pai e filha, um diálogo sincero onde Callie assumiu que todos erraram e que ama Robert e que ele sempre será o seu pai! Um momento tão bonito que quase destruído depois de Robert ter descoberto sobre a história da emancipação! Pensei que essa seria a desculpa para prolongar este arco por mais uma temporada, mas felizmente isso não aconteceu e Robert agiu pela primeira vez como um adulto ao passar a guarda de Callie para os Fosters! Callie pode finalmente relaxar, e voltar a ser a personagem que era antigamente, agora que é oficialmente uma integrante desta família, torço para que Callie mantenha uma relação com Robert, Sophia e toda essa importante parte de sua família.

O jeito impulsivo de Stef é algo bastante preocupante e que está afetando a vida de todos, por muito pouco seu plano de emancipar Callie não fez com que os Fosters perdessem a guarda dela para sempre. Stef precisa parar imediatamente de tomar decisões sem antes conversar com Lena, precisa deixar de se preocupar tanto com os problemas dos outros e dar mais atenção para Lena antes que a perca! Lena não se recuperou até hoje da perda do bebê, está muito triste e sabe que adotar a criança de Ana não é a decisão correta, é apenas uma maneira de fugir dos problemas do seu casamento; Lena está cansada deste comportamento impulsivo de Stef, não tiro a razão dela, as atitudes de Stef acabaram fazendo com que elas se afastassem.

Lena acabou se aproximando demais de Monte que virou sua melhor amiga e confidente, mas Monte acabou se apaixonando por Lena e era uma questão de tempo até Monte tentar levar essa relação para o próximo nível. Não fiquei surpreso com Lena ter parado o beijo de Monte, mas ficou claro que isso mexeu bastante com ela e que também sente algo pela diretora, a própria Lena afirmou que está preocupada com o futuro do seu casamento. Repito o que escrevi nos meus últimos reviews, Lena e Stef precisam conversar sobre o que está acontecendo entre elas, antes que seja tarde demais.

Infelizmente não posso dizer que gostei do rumo da história de Brandon nesta temporada, outro personagem que mudou para pior. Que ódio que eu senti de Lou! Não acredito nem um pouco nessa sua declaração de amor para Brandon, parece ter dito isso somente para convencer Brandon a ir na turnê, já que está mais preocupada com o futuro do grupo que pode ter a chance de assinar com uma gravadora, Lou sabe que sem Brandon a chance disso acontecer diminui bastante. Gostei dessa reaproximação entre Brandon e Mike que foi o responsável por segurar a mulher representante do programa. Até o último episódio Brandon manteve a duvida sobre ir na turnê ou no programa, a música pop ou a música clássica! Acredito que tenha tomado a decisão final e a certa ao escolher a música clássica, apesar de ter cometido um erro no teste, torço para que a mulher o aprove. Brandon não pode largar sua verdadeira paixão por um amor adolescente com Lou que se realmente o ama precisa aceitar a decisão dele.

Por motivos óbvios deixei para comentar no final do texto o enredo envolvendo Mariana, Jesus e Ana. Começo pela parte mais leve com a disputa entre os grupos de dança, essa história é um exemplo do processo de amadurecimento que Mariana viveu nesta temporada. Marina soube passar de forma inteligente por cima de uma situação adversa, não deixou um pé torcido, acidente que aconteceu por culpa do bagunceiro do Jesus, destruir seu sonho e usou sua inteligência, e dotes como hacker, para ganhar de forma espetacular a competição! Mariana mostrou para suas rivais a evolução da sua ideia da dança robô, que foi roubada pelo grupo rival, ao colocar um holograma no seu lugar! Um espetáculo a apresentação do grupo da Mariana com o holograma, o jogo de luzes e uma excelente coreografia.

Acertei ao escrever na semana passada que os avós de Mariana e Jesus acabariam fazendo as pazes com Ana e a ajudariam a criar essa nova criança. Ana não aceitou inicialmente o convite de seus pais porque não queria magoar Mariana, repetindo a mesma atitude de Lena e Stef que só aceitaram adotar essa criança por causa da Mariana. Jesus foi o único a mandar Mariana parar de pensar somente no que seria melhor para ela, mas sim o que seria o melhor para o futuro de Ana e da criança; a própria Mariana na semana passada disse para seus avós que o nascimento desta criança é uma segunda chance para todos eles se reaproximarem.

Tudo parecia caminhar para um final feliz, mas Ana tinha que começar a entrar em processo de parto enquanto dirigia o carro com Jesus e Mariana dentro! Jesus e Mariana não deveriam ter deixado Ana continuar dirigindo, deveriam ter chamado uma ambulância ou um dos dois assumir a direção, já que estavam perto do hospital! Fiquei chocado ao ver o outro carro surgir do nada e colidir com muita força com o deles, para aumentar o drama Stef foi chamada para ajudar em um acidente que teve uma vítima fatal! Obviamente a ideia da equipe criativa de The Fosters era deixar os fãs da série preocupados e ansiosos para saber o que vai acontecer, o que seria um bom gancho para o início da terceira temporada, mas o ator Jake T. Austin, intérprete de Jesus, pode ter estragado tudo! O ator escreveu em seu twitter logo após a exibição deste episódio que sua participação na série foi encerrada e que não retornará para a terceira temporada!

Durante o episódio Lena e Stef autorizaram Jesus a ir para o colégio interno, o que obviamente diminuirá a participação do personagem na história, mas não o excluiria totalmente, já que seria ilógico ele não aparecer nunca mais por este motivo; por isso a declaração de Austin aumenta a teoria de que Jesus pode ser a vítima falta no acidente, mas a resposta final será dada somente no retorno de The Fosters entre junho e julho este ano.

tres

Sobre a Temporada:

A segunda temporada de The Fosters não conseguiu alcançar o mesmo e bom nível de qualidade do seu primeiro ano. Enredos instáveis, muitas idas e vidas nas histórias dos personagens, alguns exageros dramáticos, entre outras falhas. A relação de Stef e Lena ficou mais realista ao mostrar essa crise na vida do casal e gostei bastante da maneira que ambas as personagens foram trabalhadas separadamente; Callie deixou de ser uma personagem adorável e ficou bem chatinha durante este ano, mas felizmente o arco sobre Robert chegou ao fim; Brandon perdeu parte da sua personalidade depois do acidente com sua mão e falta o personagem definir o seu destino; considero uma boa notícia a saída de Jesus, o personagem nunca pareceu se encaixar na história e todos os seus enredos foram fracos, além do que Jake T. Austin deixou bastante a desejar em sua atuação; Mariana e Jude foram os personagens que mais amadureceram e mudaram para melhor, obviamente o maior legado desta temporada foi a corajosa opção de debater a questão da homossexualidade na adolescência.

Nota da Temporada:

tres

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s