Deixe um comentário

Crítica: Sem Direito a Resgate

Untitled Elmore Leonard3539.NEFSem Direito a Resgate adapta para o cinema o livro The Switch (1978), onde o autor Elmore Leonard apresenta os personagens Ordell e Louis que também aparecem no livro mais conhecido do autor Ponche de Rum (1992) que serviu de inspiração para o roteiro de Jackie Brown, clássico filme de Quentin Tarantino.

Na trama, Ordell (o rapper Mos Def) e Louis Gara (John Hawkes) são dois bandidos que decidem sequestrar Mickey (Jennifer Aniston), esposa de um corrupto empresário Frank Dawson (Tim Robbins). Os atrapalhados bandidos descobrem que o plano de ganhar US$ 1 Milhão pelo resgate de Mickey não vai dar certo porque Frank está mais preocupado com sua amante (Isla Fisher) do que com sua esposa.

Untitled Elmore Leonard0149.NEFO inexperiente diretor Daniel Schrechter não consegue e nem tem capacidade para pelo menos se inspirar no clássico de Tarantino, faz no máximo a sua versão de uma típica comédia policial. Mos Def não consegue repetir a memorável atuação que Samuel L. Jackson fez com o mesmo personagem, o Ordell de Mos Def é um personagem sem carisma algum, já Hawkes se esforça para trazer seu próprio estilo para o personagem e evitar assim comparações com a interpretação de Robert De Niro como Louis em Jackie Brown.

As mulheres do elenco acabam se destacando muito mais, Jennifer Anniston aproveita bem a sua experiência em comédia e dá um tom sarcástico para Mickey, já Fisher traz sua natural sensualidade e charme para a personagem que começa como uma mera coadjuvante e se torna essencial na trama, formando uma ótima dupla com Tim Robbins.

maxresdefaultSchrechter pelo menos se mantém fiel a obra original e traz para a telona o conhecido humor negro de Leonard capaz de criar piadas sobre o nazismo sem ficar ofensivo. O diretor peca pelo mesmo erro de muitos novatos de querer ser, sem sucesso, inovador e diferente, escolhendo uma montagem confusa que atrapalha o ritmo da história e evidência os seus muitos altos e baixos.

Qualquer comparação ou até chamar Sem Direito a Resgate de um prelúdio de Jackie Brown seria um desrespeito ao filme de Quentin Tarantino, este sim um diretor que conseguiu captar o melhor dos personagens, humor e estilo de Elmore Leonard.

dois_e_meio

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s