Deixe um comentário

Constantine – 1×11 – A Whole World Out There

Constantine - Season 1É comum nos quadrinhos John Constantine partir em missões solo e durante seu caminho ter a ajuda de velhos amigos, um estilo de narrativa que a série Constantine preferiu não seguir inicialmente até fazer isso neste episódio. Não tenho absolutamente nada contra, e até prefiro, em assistir Constantine sem Chas ou Zed, o que não funcionou nem um pouco foi explicação para a falta dos dois coadjuvantes. Chas passar um período com sua família, é algo aceitável pelo que aconteceu no último episódio, só que foi uma desculpa ruim demais Zed não aparecer porque estava descansando! Zed está sendo procurada pela seita de seu pai e o próprio Constantine afirmou que o lugar mais seguro era o seu esconderijo, por tanto não tem lógica Zed sair do local durante todo este tempo.!

Deixando essas ausências de lado, o episódio desta semana também não foi um dos mais criativo da série. Um enorme clichê uma história sobre um grupo de jovens, em uma assustadora casa, que estupidamente decidem mexer com as forças sobrenaturais, desta vez com um maluco chamado Jacob Shaw que conseguiu criar o seu próprio mundo e que, claro começou a matar os jovens. É até engraçado pensar que Shaw teve anos para criar o seu próprio mundo e a única coisa que montou foi uma casa assustadora, Shaw pareceu uma mistura de Freddy Krueger de A Hora do Pesadelo com o Jigsaw de Jogos Mortais.

O lado bom do episódio foi o retorno de Richie Simpson (Jeremy Davies) que tinha feito uma pequena participação no piloto. Gostei da dinâmica de Richie com Constantine, duas almas atormentadas pelo que já viveram e pelas pessoas que perderam, enquanto Constantine bebe e se culpa pelos erros, Richie desejava uma maneira de fugir de todo este sofrimento. O episódio teve interessantes menções a história de Richie nos quadrinhos, já deixando um gancho para Richie também transferir sua mente para um novo local. Gostei também da participação de Manny tirando sarro e ao mesmo tempo impulsionando Constantine a se reerguer e continuar com seu trabalho.

O caso da semana foi fraco demais, o grupo de universitários nada mais era do um típico bando de adolescentes burros dos filmes de terror, tomando decisões que só pioraram a situação. A melhor parte foi Shaw caçando os adolescentes e a pior foi confronto de Shaw com Constantine e Richie que derrotou o maluco usando o sol (!), não esquecendo dos horríveis efeitos especiais na cena final no mundo recriado por Richie. Não sei até que ponto Constantine agiu da maneira certa ao não deixar Richie ficar e criar o seu próprio mundo, fugindo desta realidade que só traz tristezas, algo que o próprio Constantine sabe muito bem. Constantine não quer fugir desta dura realidade, sabe que tem um trabalho a fazer e reconhece cada vez o quanto suas decisões prejudicaram muitas pessoas, tanto que estava observando uma imagem de Gary como uma espécie de punição.

Um episódio que foi encaixado na hora errada, uma história solta que não trouxe nada de importante e sem ligação alguma com o enredo da Escuridão Ascendente, a participação de Richie foi boa, mas as explicações para as ausências de Chas e Zed foram ridículas.

dois_e_meio

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s