2 Comentários

Arrow – 3×10 – Left Behind

dbcbbf7d37d04225c2356ca22d7a0a94Como uma série, principalmente sobre um super-herói, pode sobreviver sem seu protagonista? É exatamente essa a pergunta que passa pela cabeça dos fãs de Arrow que não sabem como a trama continuará agora que Oliver Queen está “morto”.

A “morte” de Oliver é uma oportunidade para desenvolver melhor os seus personagens secundários, Diggle, Roy, Felicity e Laurel, quatro pessoas que tiveram suas vidas mudadas ao conhecerem Oliver Queen e que agora vão ter que continuar o seu legado. O episódio trabalhou muito bem a maneira que cada um lidou com o luto, Roy e Diggle sabiam desde o começo que o pior tinha acontecido, já Felicity entrou em total negação, como também Laurel, ambas acreditando que mais uma vez Oliver ressurgiria das cinzas.

Roy e Diggle continuaram na parte da ação, foram engraçadas as piadas de Roy não usar verde e Diggle tentando usar sem sucesso o apertado uniforme de Oliver e suas flechas. Os dois são os músculos e razão da equipe e sem Oliver os dois vão ter um espaço maior, o que é bom já que ambos estavam escondidos demais. Já o lado mais sensível da trama surge através de Felicity, foi de cortar o coração vê-la perceber que seu querido Oliver estava morto, como a própria disse com apenas 25 anos já viu dois amigos morrerem, Sara e Oliver, e agora sabe bem do perigo de ser um vigilante e por isso está cansada desta vida. A sua saída da equipe e sua decisão de não ajudar Ray no seu sonho de ser um herói é aceitável, mas não vejo como a equipe pode funcionar apenas com os músculos de Roy e Diggle e sem o cérebro de Felicity, torço para que ela mude logo de ideia.

Estou profundamente decepcionado com a história de Ray no geral, um personagem sem carisma e com Brandon Routh canastrão como sempre. Pior do que isso é ver o quanto a série está realmente copiando as cenas dos filmes do Homem de Ferro, só que Ray não é Tony Stark, tanto que atira em palhaços, uma piada que não funcionou e só piorou a imagem de Ray. Esse exagerado tom de humor e o jeito atrapalhado de Roy diminuem ainda mais a credibilidade da ideia de que ele vai se tornar um grande herói.

Outra coisa que não gostei foi toda a parte de Thea e Merlyn que não se encaixaram bem na história. Um pouco bobo Thea conseguir descobrir que Roy é o Arsenal e não ter percebido até hoje que Oliver é o Arrow, também já cansei de ver cenas do treinamento de pai e filha, está mais do que na hora de Thea passar para uma nova fase. Já a participação de Merlyn foi muito estranha, primeiro Merlyn apareceu no esconderijo de Oliver, depois foi até as montanhas de Ra’s e na cena seguinte já apareceu de volta a Starling City, a única explicação é que Meryln é na verdade o Flash ou Flash-Reverso! Esperava que Meryln aproveitasse a morte de Oliver para voltar a ser o atraente vilão que foi na primeira temporada e não um covarde com essa insossa história de que realmente acreditava que Oliver seria capaz de matar Ra’s, pior ainda foi ele falando que estava se sentindo culpado por tudo que aconteceu. Foi ridícula demais a cena de Merlyn todo medroso avisando Thea que precisam fugir novamente, a verdade é que a dupla não fará falta alguma.

Agora uma escolha que foi simplesmente perfeita foi de colocar o maluco do Vinnie Jones interpretando o invencível Brick que será um grande desafio, físico e intelectual, para equipe Arrow. Brick não é apenas invencível e forte é também um gênio do crime com seu esperto plano de roubar as evidências para assim ter os criminosos em suas mãos e com ajuda deles tomar Glades! Este enredo ganha mais força ao pensar que estes presos tinham sido capturados por Oliver, mais um grande motivo para equipe continuar unida e honrar o legado de Oliver. Brick participará de um arco de três episódios, este e mais dois, o que dará tempo de desenvolver tanto sua história como também a equipe Arrow, principalmente a rápida transformação de Laurel em Canário. “Eu sou a justiça que você não pode correr”! Uma frase bem impactante para a estreia de Laurel com o uniforme da Canário, só espero que a trama continue mostrando que Laurel ainda tem muito a aprender antes de chegar ao nível de sua finada irmã.

Até a última cena acreditava que o flashback seria usado como uma desculpa para Oliver continuar aparecendo na trama, mas não, acabou aprofundando ainda mais a relação de amizade entre Oliver e Maseo e a revelação de Oliver ter ajudado Maseo a encontrar Tatsu foi um apropriado gancho para a bombástica cena final! Maseo pediu ajuda a Tatsu que conseguiu ressusciar Oliver! Como ela conseguiu fazer isso é ainda mistério, mas provavelmente Oliver deve ficar por um período nas montanhas até se recuperar. Este flashback também criou novas perguntas sobre os motivos que levaram Maseo e Tatsu a se separarem, o que pode estar relacionado ao filho deles que não apareceu no presente.

E a última cena responde a minha pergunta inicial, já que era impossível Arrow continuar sem Oliver Queen. Oliver deve ficar de fora da trama principal pelo menos até o episódio 13, assim a série deve continuar a se dividir entre o time Arrow em Starling e a recuperação de Oliver.

tres

2 comentários em “Arrow – 3×10 – Left Behind

  1. Não se sustenta sem o Oliver. É a essa conclusão que cheguei com esse episódio! A melhor aparição do time de Starling pra mim foi a da Laurel! Acho que finalmente vou gostar da personagem agora como a Canário. #VoltaOllie!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s