2 Comentários

The Flash – 1×10 – Revenge of the Rogues

Screen-shot-2015-01-20-at-9.21.41-AMThe Flash retornou introduzindo muitos elementos dos quadrinhos na história da série, o principal deles foi o início da criação da Galeria de Vilões.

Um dos diferenciais do Flash para os outros heróis é que seus antagonistas adoram trabalhar em grupo para derrotar o inimigo em comum, o que é uma garantia de bons embates. Uma opção perspicaz escalar Wentworth Miller como Capitão Gelo e Dominic Purcell como o Onda Térmica, aproveitando a química que existe entre eles pela parceria em Prison Break, isso ajudou a dar mais credibilidade aos personagens, mesmo com Purcell exagerando em sua atuação caricata como Mick. Snart e Mick são realmente como gelo e fogo, uma sagaz referência foi feita sobre isso através do quadro roubado, enquanto Mick é um maluco, Snart é um vilão frio e calculista, calcula cada passo e mesmo quando tudo dá errado, consegue enxergar uma maneira de utilizar uma derrota para o seu bem.

Algo que gostei muito neste episódio foi o choque entre os mentores de Barry Allen, West e Wells, e como o protagonista se vê cada vez mais dividido entre eles. Wells quer ver logo o Flash se tornar realmente o homem mais rápido do mundo para obviamente confrontá-lo como o Flash-Reverso,O diálogo entre Barry e Wells sobre eles serem parceiros e um impulsionar o outro a ser algo melhor foi uma claríssima referência a um diálogo dos quadrinhos entre Flash e o Flash-Reverso. Wells tem uma enorme preocupação em garantir o futuro que já conhece, chegando a ponto de quase sair de sua cadeira de rodas para salvar Barry durante seu treinamento radical. Já West não quer que Barry se dedique somente a derrotar o Flash-Reverso e não perca uma de suas qualidades que foi sempre querer ajudar o máximo possível de pessoas, o que pode fazer ainda mais agora como um herói. Neste confronto entre West e Wells, o primeiro saiu vencedor e achei ótima a ideia de Barry e West morarem juntos, uma carismática dupla que ficará ainda mais próxima.

Após perceber que precisa se dividir entre derrotar o Flash-Reverso e ajudar as pessoas, Barry lidou com um novo e complexo desafio ao enfrentar a dupla de vilões. Barry agora sabe que sua velocidade não é o seu principal poder, mas sim sua inteligência e sua arma secreta é ter uma equipe ao seu lado para ajudá-lo. Engraçada demais a referência ao filme dos Caça-Fantasmas com a revelação de que a única maneira para derrotar o Capitão Gelo e o Onda Térmica era fazer com que eles cruzassem os raios de suas armas! Seria um desperdício prender a dupla de vilões e que bom que escaparam com ajuda da irmã do Capitão Gelo, Lisa Snart, conhecida também como a vilã Patinadora Dourada. A Galeria de Vilões ganha cada vez mais integrantes!

Outra grande novidade foi ver o Flash sair das sombras e provar que não é um mito, mostrando, principalmente para incompetente policial local, como é o herói que a cidade precisa, isso foi um importante passo para seu amadurecimento, mas nem todas as pessoas vão gostar e entender a existência do Flash. O próprio Eddie tentou ajudar o herói e percebeu que o Velocista Escarlate (chamado assim primeira vez) está do lado do bem, Eddie que ganhou uma nova colega de quarto com Iris indo morar com seu namorado. Fiquei contente pelo pouco espaço dado a essa chata discussão amorosa entre Barry e Iris, o protagonista não precisa viver um romance neste momento.

Cisco e Caitlin também tiveram seus bons momentos, o nerd deu até uma lição de moral para os policiais como o orgulhoso representante do laboratório STAR, e agora até o Wells já está gostando da mania de Cisco de dar nomes aos vilões. Com o rumor cada vez mais forte de uma possível série solo estrelada por Ronnie Raymond, o Nuclear, o personagem ganha cada vez mais espaço em The Flash. O episódio deixou alguns ganchos sobre os poderes de transmutação do Nuclear e questão da ligação entre a pesquisa feita por Stein no projeto F.I.R.E.S.T.O.R.M (o povo que ama siglas) e o que aconteceu com Ronnie, elementos apresentados através da regular introdução de Jason Rusch (Luc Roderique).

Um começo de ano muito bom para The Flash que deixou promissores enredos e que mostra uma história que evolui e amadurece a cada semana.

Dos quadrinhos para TV:

Os Rathaways, donos daquele quadro do Fogo e Gelo, são pais de Hartley Rathway, o Flautista, guardem este nome!

quatro

2 comentários em “The Flash – 1×10 – Revenge of the Rogues

  1. Oi Caio!
    Gostei muito deste episódio. The Flash é uma série muito divertida. Snart tem que voltar mais vezes, quero ver esta Galeria ficar do tamanho da Liga da Justiça. A esta altura, a ideia de que Wells é Barry do futuro já foi descartada. Pena, porque adoraria ver Barry meio vilão. Quase uma versão mais Bizarra de Flash.
    Amor pelo Joe. A interação dele com Barry é muito fofa. Mas o Barry fica fofo com todo mundo. Eu gosto do romance em construção, tenho simpatia pela Iris, mas ao mesmo tempo não quero que a série fique focada só nisso. Nem só de “amor, i love you” vive um episódio. Romance é legal e se bem conduzido eu adoro, mas ação, aventura, reviravoltas, piadinhas pra descontrair também são importantes.
    Wells quase se levantando pra salvar Barry!!! Até voltei a cena pra ver se era minha imaginação. Eu sou dessas que volta cenas.
    Referência a Ghostsbusters ❤ Me parece que até uma HQ do Batman apareceu na mochila do Barry.
    O trailer do próximo episódio me deixou muito ansiosa, é assim que uma série tem que ser! Suas reviews continuam ótimas(já comentei aqui antes, mas acho que foi com outro e-mail que nem lembro mais).
    Firestorm ~não consigo chamar de Nuclear~ pode ter série própria??!! Pelo que pesquisei ele parece um personagem bem diferente do que já vi por aí. Mas nem todo mundo precisa ter seriado solo. Minissérie(10, 20 ou 30 episódios não importa, desde que tenha data pra terminar) são boas apostas também. Mas acho que a meta da CW depois de emplacar Smallville por dez anos, Supernatural por 11(fizeram um pacto com o demo para esta série resistir tanto) é repetir a mesma coisas com suas séries. Que pena, séries longas demais perdem a qualidade.
    Tchau!

    • Olá Sara quanto tempo! Claro que eu lembro de você ,por muito tempo você foi a pessoa que mais comentava no blog e claro com ótimos comentários! Também to torcendo para a Galeria crescer ainda mais, particularmente ainda não consegui gostar da Iris.
      A referência aos Caça-Fantasmas foi demais e essa do Batman eu não vi! Vou olhar com mais cuidado. É o Firestorm está crescendo acho que vai ganhar série solo mesmo.
      Também concordo que prefiro séries que durem pouco, mas sejam boa, ninguém merece Supernatural por 11 anos rrss!
      Fico feliz com seu comentário e espero ver você por aqui mais vezes 🙂

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s