Deixe um comentário

Switched at Birth – 4×03 – I Lock the Door Upon Myself

KATIE LECLERCEnquanto Bay via mais um sonho seu ser destruído, Daphne participava de uma clássica disputa universitária envolvendo até corrida na lama, não existe melhor maneira do que essa para mostrar a diferença na vida atual de cada uma.

Começando pela parte mais divertida com Daphne e a competição pelo banheiro! Gostei dos golpes armados por Mingo que estava apenas dando “boas vindas” aos novos alunos, e fiquei feliz que isso não foi uma questão de preconceito. A competição em si foi bastante engraçada, adorei como Daphne não perdeu tempo e entrou no estilo de jogo sujo do Mingo, usando suas próprias artimanhas, como seu pai jogador de beisebol e até dando uma leve roubada para ganhar a corrida na lama. Já deu para perceber que Daphne e Mingo combinam bastante, ambos são competidores natos e Daphne sempre teve uma queda por garotos com estilo bad boy, aposto que logo Daphne e Mingo vão usar juntos aquele desejado banheiro.

A história de Iris foi uma curiosa inversão da situação comum, com uma ouvinte sentindo que estava sendo deixada de lado pelos deficientes auditivos da faculdade e também por todos os outros alunos. Já deu para perceber que Iris é bastante carente e tenta a qualquer custo agradar as pessoas, mas ela exagerou em sua reação em relação a atitude de Daphne que não fez nada demais. Daphne e Iris podem se tornar grandes amigas por ambas se sentirem deslocadas neste novo local e uma deve ajudar a outra.

Ainda sobre a competição que fez com que John descobrisse que Travis tem talento para jogar beisebol, mas não acredito que seja seu destino ser um jogador profissional. John chegou aos 50 anos e entrou numa visível crise de meia-idade, primeiro pensou em ir para faculdade, agora quer fazer com que Travis vire um jogador de beisebol, coitado do Travis que vai ter que aguentar o John atrás dele. John precisa encontrar o seu próprio rumo e uma nova paixão para dar um objetivo para sua vida e acabar com esta crise dos 50 anos.

Que bom ver Toby pedindo desculpas para Daphne e também sendo um bom e presente irmão para Bay que está a beira de explodir! A cada semana fico com mais pena de Bay e também com raiva por ela não ter pensando direito nas consequências do seu ato ao salvar Daphne da prisão. Bay e Toby tentaram esconder o máximo possível o monitor na perna dela, mas estava na cara que de alguma maneira a representante da galeria de arte iria descobrir a verdade, o que aconteceu por causa de um carregador quebrado! Simplesmente um absurdo essa atitude da galeria de não aceitar pessoas com ficha criminal, acredito que cada caso precisa ser analisado individualmente, mas a injustiça foi feita e Bay não realizou o desejo de ver uma de suas obras sendo exposta.

Se a sua situação já não fosse péssima, mal sabe Bay que Emmett conheceu outra garota! Inicialmente achei a japonesa atirada e querendo agradar demais o Emmett, mas foi bacana da parte dela levá-lo ao estúdio, o que foi uma lição para Emmett ver que sua carreira como cineasta será mais uma parte do grande desafio de superar o preconceito contra sua deficiência. Foi fofo demais a japonesa levar Emmett ao estúdio onde foi rodado o clássico Psicose e em troca ela só queria um beijo! Essa e todas as suas outras atitudes ficaram mais lógicas depois da inesperada revelação que ela também tem um relacionamento a distância! Sempre fui a favor de Emmett e Bay ficarem juntos, mas estou começando a suspeitar que este namoro está perto do fim.

Falando em pessoas que viveram a mesma experiência, como Regina e Eric, ambos viúvos e com filhos. Regina estava carente e em uma longa seca sexual, sonhando com os braços de Angelo, por isso não resistiu aos músculos de Eric que mesmo sem conhecer Regina direito, já queria beijá-la! A transa com Eric não ajudou Regina a superar o luto, pelo contrário, criou um sentimento de culpa nela e foi de cortar o coração o olhar de Regina para as caixas com as roupas do seu finado marido.

Entendo a loucura que deve estar a cabeça de Bay sentindo ao mesmo tempo raiva e amor por Daphne, a ruivinha percebeu que sua irmã precisava extravasar todo seu ódio e nada melhor do que fazer isso com uma guerra de lama! Bay e Daphne ainda vão ter uma longa jornada até que ambas consigam consigam lidar com essa situação.

tres_e_meio

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s