Deixe um comentário

Switched at Birth – 4×02 – Bracing the Waves

performing-her-sentence-switched-at-birthÉ natural do ser humano abusar daquele que precisa dele, por isso é preciso aprender a resolver sozinho seus próprios problemas, algo que não é fácil e requer muito esforço. Para Daphne isso é algo muito difícil de fazer pela sua deficiência auditiva e como era esperado sua vida em uma faculdade normal não começou nada bem. Se não bastasse todo o preconceito dos outros alunos, o problema com Josh, a professora também não é nada fácil com suas estúpidas regras, como não poder ir de moletom na aula! Fiquei com pena de Daphne pelo preconceito e a dificuldade que está passando, mas deu orgulho de ver como ela se portou e por não ter desistido do seu sonho.

A aquela menina do grupo foi desde o começo extremamente preconceituosa com Daphne, parece uma grande aproveitadora que escolheu por motivos óbvios os dois nerds para integrar o seu grupo e no fim só aceitou Daphne por causa de suas notas adiantadas. Estou cada vez mais gostando de Josh, entendi o lado dele pelo seu histórico com pais surdos e o motivo de querer defender Daphne e acho que ela até exagerou, porque Josh não estava falando por ela, mas apenas a defendendo. Os dois têm tudo para formar uma grande parceria, espero que não um casal, já que Josh analisou bem que Daphne precisa tanto dele como também do grupo, sem ambos não conseguirá passar pelo curso que será um dos maiores desafios de sua vida.

Quem também não desistiu de seu sonho foi Kathryn mesmo depois da traumatizante experiência com o salafrário do produtor, coitado do John que ficou em uma situação bem chata ao ter que contar o que o produtor realmente queria era dinheiro dele e de seus amigos. Nada melhor na vida do que ter um animado e criativo amigo como Renzo para fazer com que Kathryn não desistisse do seu sonho e ainda deu a engraçada ideia de adaptar seu livro para o formato musical! Com somente com aquelas canções inventadas na hora por Renzo e Kathryn a ideia já parecia muito engraçada, imagina como será um musical completo! Amei também como Renzo não aceitou fazer o trabalho por Kathryn, a incentivando a libertar o seu lado mais criativo, Kathryn vai começar sua jornada para tirar o projeto do papel e quem sabe levá-lo até um dia para a Brodway!

Relacionamentos a distância não são nada fáceis, ainda mais quando você está que nem Bay, presa a um serviço que inclui pegar ratos mortos e aguentar uma menina mala te enchendo a paciência enquanto seu namorado está em Hollywood! Até que demorou para Bay explodir e colocar Tess no seu devido lugar, o que aconteceu muito pelo incentivo de Tank que voltou para dar bons conselhos para sua amiga. Mesmo depois de destruir o seu celular Bay continuou agindo, até demais, como uma santa e salvou Tess que depois devolveu a gentiliza, mesmo com essa trégua não acho que seria crível Bay e Tess se tornarem amigas, no máximo colegas de trabalho e pronto. Sobre este relacionamento a distância entre Bay e Emmett não sei se vai dar certo, e não digo por Bay, mas por Emmett que está em um novo local e vai conhecer novas pessoas.

Falando em casais aposto que um vai se formar entre Regina e o barrista Eric. O problema é que mais uma vez o enredo de Regina gira em torno dela formando uma parceria com um homem com quem no fim deve ter algo mais intimo. Particularmente não acho nada bom essa repetição de estilo de trama para Regina, apesar de gostar de vê-la tentando limpar sua imagem no bairro para acabar de uma vez com sua fama de puta traidora!

tres_e_meio

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s