Deixe um comentário

Série Nova: Galavant – 1×01 – Pilot

Galavant-Pic-galavant-37273824-1024-768O ano de 2015 no mundo das séries começa com a estreia de Galavant, uma sitcom musical que faz uma sátira sobre as tradicionais histórias de contos de fadas medievais.

A trama apresenta Galavant (Joshua Sasse, de Rogue), um herói reconhecido em todos os reinados. Galavant perde sua vontade de lutar e viver depois de que sua amada Madalena (Mallory Jansen, de Young & Hungry) o troca pelo Rei Richard (Timothy Omundson, de Psych), preferindo o poder e o dinheiro do que o amor do protagonista. Quando a Princesa Isabella (Karen David, de Castle), filha do Rei de Valência, pede ajuda de Galavant para libertar seu reino que foi invadido pelo Rei Richard, Galavant encontra a chance de voltar ao ser um herói, se vingar do homem que roubou sua amada, a qual tentará reconquistar.

A série criada por Dan Fogelman (The Neighbors) claramente não tem a intenção de ser levada a sério, tudo na história é propositalmente ridículo, tudo é uma desculpa para virar uma piada, sempre tirando sarro da fórmula clássica dos contos de fadas. Esse tom de sátira fica ainda mais evidente com as músicas compostas por Alan Menken (A Bela e a Fera) e Glenn Slater (Enrolados) que guiam a história. No papel a ideia de Galavant era bastante promissora com a sua ousada mistura de sátira e musical, uma fórmula que parece bastante influenciada por Monty Python, uma inspiração que chega ao ponto de repetir piadas já feitas pelo clássico grupo de humor.

Na prática Galavant não funciona, os dois primeiros episódios revelam uma série que insiste em um humor infantil. Fogelman é um roteirista limitado que prefere sempre o humor mais comum, em momento algum tenta ir além do óbvio, a série também decepciona pela sua falta de ousadia como uma sátira que faz piadas sobre o óbvio, por exemplo o confronto dos cavaleiros do segundo episódio (com participação de John Stamos) que não teve graça alguma. As composições de Menken e Slater são também inocentes demais com suas fraquíssimas letras que tentam ser engraçadas, quando na verdade estão apenas repetindo piadas que são ou óbvias ou que já foram feitas antes. O elenco é razoável e a maioria se destaca muito mais na parte musical do que no humor. Joshua Sasse não pode fazer muito com um personagem tão sem carisma como Galavant, um herói sem graça e extremamente chato que ficou na sombra dos bons coadjuvantes nos dois episódios, principalmente Timothy Omundson como o Rei e Karen David como Isabella, os dois se destacaram tanto no humor como nas canções.

Vai dar certo? Provavelmente não, uma ideia promissora que talvez nas mãos de pessoas mais criativas poderia ter funcionado muito bem, Galavant não consegue ter graça alguma e sua parte musical é extremamente irritante. A própria ABC não parece apostar na produção e já a considera uma minissérie, o que é uma pré desculpa para uma não-renovação para um segundo ano. A emissora decidiu exibir dois episódios, dos oitos produzidos, por semana, o que parece ser uma maneira de se livrar logo da série.

Para quem gosta de…: musicais, contos medievais, sátiras.

O TV Cinema e Música vai acompanhar? Não.

dois

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s