Deixe um comentário

Doctor Who – Last Christmas (Especial de Natal)

79244101_drwhochristmas_bbcO primeiro especial de natal de Peter Capaldi como Doctor Who estava sendo bastante aguardado, não só por causa do ator, mas também por finalmente acabar com o mistério sobre Clara Oswald continuar ou não como a companheira, a solução foi dada, mas se será aprovada pelos fãs é outra história.

Steven Moffat mais uma vez reuniu em uma história os melhores elementos desta série e fez uma união muito sagaz da parte de ficção científica com o tema natalino. Moffat foi honesto ao brincar com a sua própria influência para criar o alienígena do episódio que foi inspirado na franquia Alien, isso até rendeu uma ótima piada com o Doutor dizendo que era ofensivo um filme chamado “Alien”. Moffat brincou o tempo todo com a realidade contra a fantasia, isso aconteceu logo no primeiro confronto entre o Doutor que estava incrédulo de que o homem barbudo seria o Papai Noel, toda a cena do Doutor e da Clara e o Papai Noel foi perfeita e uma ótima maneira de reuni-los depois dos eventos tristes do último episódio.

Trazer o Papai Noel (o divertido e ótimo Nick Frost) foi uma opção corajosa e que rendeu ótimos diálogos, como as discussões do Doutor (Feliz Páscoa!) com o Noel e de Shona (um toque inteligente a lista da personagem) também com o Papai Noel. O Senhor Noel veio acompanhado de seus dois cômicos elfos ajudantes, Wolf (o engraçado Natahn McCullen, de Misfits) e Ian (Dan Starkey, o homem por de trás da máscara do Strax). Um Papai Noel que mostrou uma imagem de ser forte e corajoso, sendo o grande salvador do dia, até o Doutor no final se rendeu ao carisma do Papai Noel que o deixou guiar seu treno, contagiante a felicidade do Doutor pilotando e controlando as renas. A presença do Papai Noel, com suas tangerinas, ganhou ainda mais importância e um tom delicado pela cena final que confirmou que a única coisa real dos sonhos de todos era a presença do Papai Noel, o próprio Moffat afirmou isso em uma entrevista.

Os Caranguejos dos Sonhos (mais conhecidos como o Alien) deram a deixa perfeita para continuar o tema de realidade e fantasia, com aquela velha e muitas vezes assustadora sensação de ter sonhos seguidos, o que traz o medo de nunca mais conseguir acordar. O grupo que acompanhou o Doutor e Clara nesta aventura foi mediano, com quatro integrantes, mas apenas dois se destacaram. O primeiro foi o Professor Albert, não pelo personagem, mas pelo seu interprete ser Michael Troughton, o filho de ninguém menos que Patrick Troughton, o segundo Doutor! Claro que quem realmente se destacou mais no grupo e diria em todo episódio, até mais que Clara, foi Shona (Faye Marsay), aquela típica personagem fofa que Moffat sabe criar tão bem, conquistou o público com seu jeito meio atrapalhada, falante e curiosa demais e engraçada, a cena dela dançando para não pensar nos monstros foi hilária!

O reencontro de Clara e o Doutor foi bastante emocionante e os sonhos ajudaram a reaproximar esta divertida dupla. Foi de tirar lágrimas os diálogos onde cada um contou que mentiu para o outro, oDoutor sobre ter encontrado Gallifrey e Clara sobre a morte de Pink, o qual claro retornou para mais uma despedida! Não vai ser da noite para o dia que Clara vai esquecer Pink, o grande amor da sua vida estará para sempre em sua memória, mas as belas palavras de Pink foram honestas e perfeitas sobre Clara ter a obrigação de tentar ser feliz e também ter o direito de ter saudades de Pink.  A maior polêmica do episódio foi sobre a inesperada decisão de que Clara vai continuar por mais uma temporada como a companheira do Doutor, algo que discordo bastante.

O episódio deu a deixa perfeita para Clara se despedir do Doutor com a cena em que ele a encontrou já como uma senhora de idade; apesar de ser um final tocante, não seria perfeito por parecer demais com o que foi feito com Amy e Rory em suas despedidas e exatamente por isso percebi na hora que se tratava de um novo sonho ou melhor uma pegadinha de Moffat para enganar os fãs. Já chegou a hora de Clara partir, a personagem é adorável e tem uma química forte com Capaldi, mas na última temporada ganhou uma força que a fez muitas vezes parecer ser mais importante que o Doutor que ficou em sua sombra. Essa sensação de que a chance de finalizar a história de Clara foi desperdiçada aumentou ainda mais pela presença de Shona, já que o público adorou a personagem e até acreditou que com a eminente saída da Clara a personagem seria a nova Companheira, mas ainda acredito que veremos o retorno de Shona. Talvez a introdução de Mona, por ser uma pessoa comum da Terra, não tenha sido em vã e talvez o mesmo que aconteceu com Donna se repita em um futuro breve.

Last Christmas foi um agradável especial de natal efoi um dos melhores episódios desta nova fase com Peter Capaldi como o Doutor. A decisão de manter Clara é bastante preocupante e liga um alerta sobre como será o futuro da personagem e do próprio Doutor a partir da próxima temporada. Só vamos saber se a decisão de mantê-la foi ou não uma boa opção para a série no segundo semestre de 2015 quando Doctor Who retorna com o episódio “The Magician’s Apprentice” (O Aprendiz de Mágico).

quatro

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s