Deixe um comentário

Doctor Who – 8×11 – Dark Water

missy-doctor-cybertank-dark-waterSteven Moffat mais uma vez mostrou toda sua habilidade como escritor ao apresentar um dos melhores episódios, e o melhor desta temporada, de Doctor Who! O brilhantismo começou ao ousar matar Danny Pink logo na primeira cena e do modo mais banal possível, lembrando para Clara que por mais que já tenha tido diversas aventuras com o Doutor, não pode fugir das trivialidades de ser uma humana. Duas cenas emblemáticas no início do episódio, a belíssima passagem de tempo através do olhar e vestido de Clara e a tentativa sem sucesso dela chantagear o Doutor, a cena das chaves merece ser assistida milhares de vezes.

Vá para o inferno Clara…. no sentido literal! Essa foi a primeira vez que senti o antigo Doutor em sua nova reencarnação aceitando e entendendo a traição de Clara e disposto a ajudá-la a tentar trazer Pink de volta. Quando o tema da vida após a morte começou fiquei preocupado, é um tema polêmico e com muitas visões diferentes, mas Moffat sobre trazer o assunto para o estilo ficção científica de DW. Antes de falar de Missy ou melhor o Mestre, vou comentar seu plano que somente uma vilã de peso seria capaz de criar! Montar um exército de Cybermen usando os mortos é de uma crueldade e esperteza que somente o Mestre seria capaz! O que leva a falar de Pink que foi mais uma vítima de Missy, com o programa que o fez enfrentar os fantasmas do seu passado, finalmente conhecemos seu passado sombrio, no qual matou acidentalmente uma criança no Afeganistão. A crueldade de colocar um ser humano tendo que “sentir” seu corpo morrendo e depois a ideia de ter que enfrentar seus piores pesadelos, deixando apenas opção de apagar com seus sentimentos, e sem saber virar um Cybermen!

Entre as inúmeras teorias sobre quem era Missy a ideia dela ser o Mestre era que tinha menos apoio dos fãs, afinal colocaria a ideia de que o Doutor é capaz de regenerar seu corpo masculino para um feminino. Steven Moffat desde que assumiu DW nunca teve medo de ousar e mudar a história da série, o especial dos 50 anos provou bem isso, e fez isso mais uma vez, afinal era bem óbvio, afinal o feminino em inglês de Master é Mistress. O episódio terminou de forma perfeita soltando a bombástica revelação e colocando novas e inúmeras questões sobre essa nova reencarnação do clássico vilão de DW. As respostas, pelo menos parte delas, vão ser dadas no próximo e último episódio da temporada que promete ser muito sombrio!

Comentários Extras:

Jenna Coleman merecia um prêmio por toda sua atuação nesta temporada, esteve perfeita em todos os episódios e neste emocionou a todos.

Além de ser a versão mais ousada do Mestre, Michelle Gomez foi outra que fez uma atuação histórica em DW, todas as cenas dela com Peter Capaldi foram incríveis, indo do longo beijo até a revelação final!

Claro que nos temos wi-fi, Steve Jobs está entre nós!

Ri demais com o Doutor perguntando para Missy se eles tinham escadas e ela respondendo: “Bem, eu não sou um Dalek!”

cinco

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s