1 comentário

Crítica: Annabelle

DSC_0499.dngA cena inicial do bom filme de terror Invocação do Mal não deixava dúvidas que a história rapidamente contada da assustadora boneca Annabelle tinha o seu próprio potencial; por isso e pelo grande sucesso na bilheteria de Invocação do Mal é aceitável a ideia de fazer um filme derivado estrelado pela assustadora boneca.

A trama é novamente baseada nas histórias reais do casal de demononologistas Ed e Lorraine Warren e para dar ainda mais credibilidade  o roteiro mistura ficção com fatos reais ao revelar que a trama se passa na mesma época dos ataques do líder do culto assassino Charles Manson. Annabelle utiliza a cena inicial de Invocação do Mal para introduzir não a história das últimas donas da boneca, mas a origem de como a boneca se tornou um objeto demoníaco. A trama acompanha o casal Mia (Annabelle Walls, sim a protagonista tem o mesmo nome da boneca) e John (Ward Horton) que vivem um vida feliz e estão prestes a terem um filho. Durante uma noite a casa deles é invadida por uma dupla de malucos adoradores do diabo, uma das invasoras é Annabelle que antes de suicidar realiza um ritual macabro e passa seu espírito para uma boneca que Mia tinha acabado de ganhar de John.

Annabelle-23set2014-16Tendo uma carreira de sucesso no gênero James Wan, além de Invocação do Mal, foi diretor de filmes de sucesso como Jogos Mortais e Sobrenatural, aqui apenas assina produção e deixa as regras bases para sua fórmula de sucesso, colocando o projeto nas mãos do diretor John R. Leonetti (do esquecível Mortal Kombat: Aniquilação), diretor de fotografia de Invocação do Mal e Sobrenatural, e o roteirista de Gary Dauberman. A dupla segue a risca a fórmula dos filmes de terror de baixo orçamento e utilizam a trama de Annabelle para homenagear clássicos do gênero, passando, principalmente, por O Bebê de Rosemary, desde o nome Mia da protagonista e as inúmeras cenas do carrinho do bebê, até O Exorcista, o padre e o diabo em si.

Diretor e roteirista sabem utilizar, principalmente no segundo ato, as regras criadas por Wan, Annabelle consegue até causar mais sustos que Invocação do Mal, alguns deles bastante criativos e utilizando bem a presença do espírito demoníaco. Annabelle é um curioso objeto de terror que diferente de outros do gênero, como o clássico Chucky – O Brinquedo Assassino, raramente aparece se mexendo na frente da tela, o medo que  causa é muito mais psicológico por causa dos seus grandes e tenebroso olhos. As diferenças principais entre Annabelle e Invocação do Mal estão em seu elenco e quando o roteiro tenta ir além da fórmula criada por Wan. Annabelle não tem um elenco com nomes de peso como Invocação do Mal tinha, Annabelle Wallis faz uma atuação esforçada, mas prejudica a personagem que precisava de uma intérprete mais capacitada. O roteiro de Dauberman é muito instável, erra no primeiro ato pelo seu ritmo lento compensado no assustador segundo ato, mas carece de ousadia ao colocar elementos comuns do gênero, o padre, a dona da livraria, que é forçadamente negra, e ao repetir preguiçosamente o tema de Invocação do Mal sobre o amor de uma mãe por seu filho.

Annabelle-23set2014-17Annabelle decepciona como prelúdio na sua apressada conclusão para ligar logo a origem da boneca com os fatos narrados na cena de abertura, no mais cumpre seu objetivo de assustar o público e funciona como um regular derivado para segurar o público até a estreia da aguardada sequência Invocação do Mal que será lançada em 2015.

tres

Um comentário em “Crítica: Annabelle

  1. […] feito por questões comerciais, talvez para não colocar a estreia da sequência logo depois de Annabelle ou talvez porque a New Line acredita no potencial deste novo filme de […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s