1 comentário

Série Nova: The Flash – 1×01 – Pilot

"Pilot"Arrow iniciou uma nova, e que se espera promissora, fase nas adaptações televisivas de histórias em quadrinhos, é entrando na cola desta bem-sucedida produção que estreia The Flash, série sobre Barry Allen (Grant Austin), personagem introduzido exatamente em Arrow. A narração inicial não deixa dúvidas de que The Flash será bastante inspirada em Arrow, mas coloca novos elementos que a diferencia da série do Arqueiro Verde.

O piloto de The Flash revela uma série menos sombria e, pelo menos inicialmente, mais voltada para um público ainda mais jovem, já que o próprio protagonista é uma pessoa desta faixa etária. O primeiro episódio foi ótimo e conseguiu apresentar muito bem o Velocista Escarlate para aqueles que não são leitores dos quadrinhos do herói. A narrativa principal foi sobre a transformação de Barry Allen, um rapaz comum com bom senso de justiça que trabalha como perito assistente, mas um pouco atrapalhado e sem força física. Após ser atingindo por um raio por causa da explosão de um acelerador de partículas e ficar nove meses em coma; Barry Allen acorda para descobrir que ganhou o poder da super velocidade e se tornou o homem mais rápido do mundo.

Gustin está bem solto como Flash, seu perfil jovem combina com essa nova visão do herói que ainda precisa amadurecer muito; o personagem já ganha um arco bastante dramático com a misteriosa morte de sua mãe por uma pessoa que aparente ter os mesmos os mesmo poderes que o protagonista. O pai de Barry, Henry, foi injustamente culpado e pelo crime; este mistério do passado impulsionará Barry a descobrir o que aconteceu no dia da morte de sua mãe. Uma curiosidade é que Henry é interpretado por John Wesley Shipp que estrelou a série do Flash dos anos 90 e que foi cancelada depois de apenas uma temporada.

Para se tornar um herói de verdade Barry Allen terá três mentores. Harrison Wells (Tom Cavanagh, de Ed), o cientista chefe do laboratório S.T.A.R. que vê sua carreira destruída após o acidente com o acelerador de partículas, algo que também o prejudicou fisicamente o deixando paralítico. Outro mentor de Barry será o detetive West (Jesse L. Martin, de Law & Order), detetive que cuidou de Barry desde que mãe dele e seu pai foi preso. West é pai de Iris (Candice Patton, de The Game), amiga de infância de Barry que tem uma paixão secreta por ela, a qual Iris não percebe e o trata como um irmão. Iris namora Eddie Thawyne (Rick Cosnett, de The Vampire Diaries), um detetive bonitão e exibido parceiro de Wes. A presença de Eddie Thawyne chama atenção dos leitores das HQ’s da DC, o personagem vindo dos quadrinhos tem um papel mais do que importante na história do Flash e deve ganhar mais importância durante a temporada. O terceiro mentor, e mais bacana, é o próprio Arrow (Stephen Amell), a cena do reencontro dos dois foi a mais bacana do episódio piloto. O Arqueiro devolveu o conselho dado por Barry e fez o jovem perceber que pode ser sim um grande herói tendo a capacidade de inspirar as pessoas; a cereja no bolo deste reencontro foi os dois heróis admirando as habilidades de cada um.

Um ponto fraco deste piloto foram os personagens Cisco Ramon (o novato Carlos Valdes) e Caitlin Snow (Danielle Panabaker, de Justified), os assistentes de Wells e parceiros de Flash na luta para encontrar os meta-humanos. Achei Cisco um personagem bastante irritante com seu jeito entusiasmado, um mero alívio cômico; já Caitlin tem um passado mais sombrio por ter perdido o seu noivo na explosão do acelerador, e este enredo, novamente com algo ligado aos quadrinhos, é que me dá esperança que a personagem, diferente de Cisco, pode ainda melhora.

Existem detalhes preocupantes sobre a série mais ainda sobre o seu futuro; o principal é a proposta de explicar a existência dos meta-humanos pela explosão do acelerador de partículas, seguindo o exemplo do que a fatídica Smallville fez com as chuvas de meteoros. Essa proposta pode dar certo, como no vilão do tempo nesta estreia, inicialmente nesta primeira temporada para apresentar os vilões semanais e amadurecer o Flash, mas a a história não pode ficar presa demais a isso ou se tornará enfadonha. Acredito que The Flash deve seguir também o exemplo de Arrow que em seu segundo ano mudou a sua estrutura para inovar e amadurecer a trama.

Outro ponto que me deixa empolgado por um lado e preocupado por outro, é a surpreendente cena final com uma revelação bombástica. Harrison Wells não só anda, como tem informações do futuro, como a que daqui alguns anos Barry Allen irá desaparecer, o que iniciará uma grande crise. O lado empolgante é pela inesperada reviravolta e a palavra “crise” é bem conhecida para os leitores dos quadrinhos da DC, um indicativo de algo muito marcante na história do herói será retratada, a sua maneira, na série. A preocupação é que este lado da ficção científica precisa ser muito bem trabalhado para não estragar a premissa da série e não deixá-la excessiva confusa com o tema da viagem do tempo; como essa revelação foi feita logo de cara acredito que os roteiristas já têm um plano bem definido e como trabalhar este tema ao longo da primeira temporada. Sendo criada pela mesma equipe de Arrow vale a pena confiar que The Flash irá ser uma produção atrativa tanto para os fãs do herói como para aqueles que estão o conhecendo agora; The Flash está apenas começando e como já aconteceu com Arrow a primeira temporada será muito mais uma introdução, seguindo a proposta de vilão da semana, para neste tempo amadurecer o protagonista e a história.

Comentário Extra:

O episódio teve diversas referências ao universo dos quadrinhos da DC, passando pela Ferris Air, detalhes em roupas, jornais até sobre o Grood, já estou torcendo para que o gorila pensante apareça na série!

Vai dar certo? Já deu! Flash teve a maior audiência de uma estreia do canal CW nos últimos 5 anos e vou mais longe ao dizer que Flash tem potencial para fazer até mais sucesso do que Arrow.

Para quem gosta de…: HQ’s da DC, Flash, séries de herói.

O TV Cinema e Música vai acompanhar? Sim! Sim! Sim!

quatro

Um comentário em “Série Nova: The Flash – 1×01 – Pilot

  1. […] Arrow, como Ronnie Raymond. Os dois se juntam depois de um acidente e formam o herói Nucelar. Leia aqui o review do episódio de estreia de The Flash. Cada vez mais acredito que o Nuclear pode ser o […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s