Deixe um comentário

Série Nova: Gracepoint – 1×01 – Pilot

tumblr_nc421sVDYK1qd82nyo5_1280A nova vítima da moda dos remakes, essa é melhor expressão, é Broadchurch, espetacular série britânica sucesso de público e crítica e ganhadora de diversos e merecidos prêmios. O canal estadunidense Fox se arrisca ao fazer a versão americana de Broadchurch que ganhou o nome de Gracepoint. Para dar mais credibilidade ao remake o próprio criador da série original Chris Chibnail é o responsável pela adaptação, assinando o roteiro dos dois primeiros episódios.

O canal estadunidense conseguiu também escalar o protagonista de Broadchurch, o respeitado ator David Tennant, na versão americana do seu papel original. Tendo assistido a série original e agora piloto do remake a pergunta que fica é se os motivos que levaram Chibnail e Tennant a participar desta nova versão da série não foram apenas financeiros e pela possibilidade de maior destaque nos EUA. No caso de Tennant isso é desnecessário para um ator respeitado, o fato mais curioso é Tennant também vai integrar o elenco da segunda temporada de Broadchurch.

A trama se ambienta na pequena cidade de Gracepoint, uma típica cidade pequena, onde todo mundo se conhece e vive em clima de perfeita harmonia. A rotina da cidade muda completamente quando o corpo de Danny (Nikolas Flipovic, de Falling Skies), um menino de 12 anos, é encontrado na praia, vítima de um homicídio. Danny era filho de Beth (Virginia Kull, de Boardwalk Empire) e do encanador Mark (Michael Penã, de Crash) e irmão de Chloe (Madalyn Horcher). A família não percebeu que o garoto deixou por algum motivo a casa no meio da noite, o que cria um sentimento de culpa e brigas entre eles. A investigação fica nas mãos do recém-chegado Emmet Carver (David Tennant), vindo da cidade grande e que esconde no seu passado um misterioso caso que o levou a mudar para Gracepoint. Sua parceira é Ellie (Anna Gunn, de Breaking Bad), uma mãe e policial que descobre ao voltar de férias que o cargo que tinha sido prometido a ela foi entregue ao forasteiro Emmett.

Muda-se a etnia de alguns personagens e pequenos detalhes, mas a premissa de Gracepoint é a mesma de Broadchurch, o piloto é praticamente uma regravação do episódio original; incluindo ângulos e o clima de contemplação da produção original. A cena inicial acompanhado Mark, o pai de Danny, já apresenta alguns dos personagens principais e futuristas suspeitos, além de mostrar o clima de amizade de uma local onde todo mundo se conhece.

A dupla de detetives também é praticamente idêntica a original; de um lado o policial forasteiro acostumado a lidar com casos graves como este e que não se acostumou ainda com o clima de amizade de uma cidade pequena. Emmet foi para Gracepoint para esquecer algo que aconteceu na sua última investigação e esperava não ter que lidar com casos sérios como a morte de Danny. Já Ellie tem um perfil ainda mais sensível do que a sua personagem na versão original, sem experiência em casos desta gravidade e presa por ter uma amizade com a família de Danny, já que a vítima era o melhor amigo de seu filho Tom.

Os outros personagens apareceram rapidamente somente para apresentá-los e deixar no ar que de algum deles é o culpado, dando um espaço maior para Tom (Jack Irvine), o filho de Ellie, que apagou todas as suas conversas na internet com Danny, provavelmente sabe de algo. Tennant e Gunn são dois atores de alto nível e são o maior atrativo deste remake, talvez só a química desta dupla seja capaz de trazer algo um pouco de especial para essa produção. O restante do elenco é bem dividido formado por nomes mais conhecidos, como Nick Nolte (Hulk), e outros novatos; pelo piloto não gostei de nenhuma atuação do lado da família de Danny, não senti neles o realismo que a dor de perder um filho precisava passar e sim atuações exageradamente dramáticas.

Os produtores do remake já sabendo do preconceito do público com remakes, fizeram questão de ressaltar diversas vezes que Gracepoint terá um final diferente de Broadchurch, este pode ser o maior erro desta adaptação. O chocante e inesperado final de Broadchurch foi uma perfeita conclusão para uma história consistente e que deu uma reviravolta única na solução do caso; mudar este final parece em primeiro lugar um medo de que o público americano não esteja preparado para aceitar a aterrorizante conclusão e uma estratégia, patética, usada somente para atrair o público e provavelmente deixar um gancho para uma segunda temporada.

Se você assistiu e gostou de Broadchurch não peca seu tempo assistindo com este remake, se você não assistiu a série britânica pode até gostar deste remake.

Vai dar certo? Provavelmente não, audiência da estreia foi péssima e o mesmo que aconteceu com The Killing deve se repetir com Gracepoint, ambas adaptações americanas de séries europeias que nunca conseguiram conquistar uma grande audiência nos EUA. A Fox sabiamente está vendendo a série como uma minissérie de 10 episódio, já pensando no caso de Gracepoint fracassar simplesmente encerra sua história e pronto; se fizer sucesso o novo final criado para o remake deve deixar o gancho para uma segunda temporada.

Para quem gosta de…: séries policias, quem não assistiu Broadchurch, David Tennant e Anna Gunn.

O TV Cinema e Música vai acompanhar? Não, prefiro assistir novamente a primeira temporada de Broadchurch.

tres

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s