Deixe um comentário

Crítica: Os Cavaleiros do Zodíaco – A Lenda do Santuário

Saint-seiya-legend-of-sanctuaryHá 20 anos estreava na televisão brasileira o anime Os Cavaleiros do Zodíaco que logo virou uma mania entre as crianças e marcou uma geração contando a história dos cinco cavaleiros de bronze que precisam proteger Atena. Para celebrar os 40 anos da carreira de Masami Kurumada, criador dos personagens, chega aos cinemas Os Cavaleiros do Zodíaco – A Lenda do Santuário, animação em computação gráfica que tem a difícil tarefa de resumir a Saga do Santuário e apresentar os personagens para um novo público.

Resumir uma saga de 74 episódios em um filme de uma hora e meia não é algo fácil de ser feito, mas o novo filme dos Cavaleiros não quer recontar uma história e sim recriá-la de uma maneira bem diferente. Muita coisa mudou nos últimos 20 anos, os animes evoluíram acompanhado os gostos das crianças e adolescentes atuais, a nova versão dos Cavaleiros do Zodíaco mostra uma nova visão sobre a maneira de colocar e das armaduras, seguindo o exemplo de outros animes, tem muito mais humor do que no original e um estilo de ação que se assemelha, especialmente no último ato, com o popular Attack of Titan (Shingeki no Kyojin).

1970645_846216122071485_1594915039_nOs fãs mais xiitas vão ficar bastante ofendidos com as mudanças mais drásticas, Seiya vira praticamente um herói comediante e o palhaço do grupo, enquanto os outros Cavaleiros são meros coadjuvantes com pequenos trechos solos, novamente se repete a ideia do anime de Seiya ser o verdadeiro protagonista. As mudanças mais sentidas, e que merecem algumas críticas, foram feitas com os Cavaleiros de ouro; a mais chocante acontece com o Máscara da Morte, o Cavaleiro de Câncer, o clássico personagem participa da cena mais ridícula e onde o humor não funciona. Ainda falando nos Cavaleiros de Ouro, por causa do curto tempo as clássicas batalhas são resumidas ou excluídas, como por exemplo do Cavaleiro de Virgem contra o Ikki. O tom dramático da obra original é praticamente perdida, as batalhas ficaram mais engraçadas e menos sérias, apesar de terem seus momentos de emoção.

A novidade principal e melhor qualidade do filme é o uso da computação gráfica, cenários impecáveis de encher os olhos com pequenos e lindos detalhes, o novo Santuário é de uma beleza única e as armaduras, apesar de diferentes, ficaram ainda mais belas e coloridas. Os Cavaleiros de Bronze ganharam um visual mais realista, mas que não foge muito ao seu visual tradicional, se destacam Seiya e Shiryu como as melhores recriações, já os Cavaleiros de Ouro ganharam visuais diferentes que se assemelham as suas novas personalidades. Outro elogio é a magnífica dublagem feita pelo mesmo elenco do anime original, exceto Valter Santos, a voz marcante de Camus de Aquário, que faleceu em 2013. Os dubladores brasileiros souberam tanto trazer a essência das vozes originais como adaptá-las para as novas personalidades de seus respectivos personagens.

lenda_novasimagens_2-1A dica para aqueles que, assim como eu, são da geração que acompanhou na extinta TV Manchete o anime original é ir ao cinema para rir, se emocionar e matar as saudades dos seus personagens favoritos, com a cabeça aberta e pensar neste filme não como readaptação fiel e sim como um criativo e ousado remake para a nova geração.

tres

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s