Deixe um comentário

Crítica: Planeta dos Macacos – O Confronto

Planeta-do-Macados-O Confronto-1Planeta dos Macacos – O Confronto supera o seu antecessor lançado em 2011 e consolida o remake que cria a sua própria história, sem deixar de homenagear a franquia original, mas a levando para novos ares.

Dez anos se passaram desde os eventos do primeiro filme, o vírus que ficou conhecido como a gripe símia dizimou a humanidade e os poucos imunes a doença tentam sobreviver em uma São Francisco destruída e sem a tecnologia básica existente no passado. Os símios liderados por Cesar (Andy Serkis) evoluíram ainda mais vivendo na floresta e criando uma sociedade própria e com suas regras; Cesar agora é pai de dois macacos e tenta manter uma vida pacífica. O conflito acontece quando os humanos ressurgem na floresta que tem dentro dela a última salvação da raça humana e cabe a Cesar decidir se irá ou não confiar nos humanos.

Planeta-do-Macados-O Confronto-2O roteiro do trio Amanda Silver, Rick Jaffa e Mark Bomback aprofunda-se na evolução dos macacos ao mostrar como criaram uma sociedade que tenta ser pacífica e muito mais íntegra do que a dos humanos no passado. A primeira parte do longa centrada nos símios é espetacular visualmente e em sua narrativa, revelando uma sociedade dos macacos que remete as nossas origens e que explora o  tema sobre o que realmente nos diferencia e que o mudou entre o nosso presente e passado. Enquanto a paz prevalece no mundo dos símios, os humanos lutam para evitar a sua extinção, de um lado Malcolm (Jason Clarke, de A Hora Mais Escura) quer o melhor para sua espécie, mas diferentemente dos outros humanos respeita os símios; Malcolm é o pacifista que quer viver em igualdade entre humanos e macacos, seu único desejo é proteger sua esposa e filho. Opostamente surge o líder dos humanos Dreyfuss (Gary Oldman, de Batman – O Cavaleiro das Trevas) que tem uma atitude mais agressiva e não aceita ser igualado a um macaco. O roteiro explora o clássico medo do ser humano do algo algo novo diferente ao ver um animal, que até então acreditava ter controle, chegar ao mesmo nível intelectual que o seu e até superá-lo.

Planeta-do-Macados-O Confronto-3Assim como no primeiro filme a grande atração é a captura de movimentos e a computação gráfica para a criação dos macacos. É visível a evolução entre o primeiro, que já era ótima, e a sequência que traz um realismo espetacular com inúmeros detalhes dos símios; este incrível realismo acontece muito pela atuação dos intérpretes dos macacos e que nesta sequência ganham mais espaço. Andy Serkis merece ser no mínimo indicado a algum prêmio de prestígio pela sua magnífica atuação como Cesar, o ator não se esconde através dos efeitos especiais, mas sim dá vida ao seu personagem através de seus cuidados movimentos e até a voz que criou para Cesar. Não somente Serkis, mas todos os intérpretes dos macacos, como Toby Kebbell como o rebelde Koba e Nick Thurston como Olhos Azuis, ajudam a comprovar de uma vez por todas que um ator é realmente capaz de atuar através da captura de movimentos e que merece ser reconhecido por este trabalho. Tanto é que o único desiquilíbrio do filme é exatamente entre os enredos de humanos e macacos; todas as partes dos símios tanto em atuação como na história são melhores dos que os enredos dos humanos presos demais a regras comuns do cinema hollywoodiano, como a união familiar e entre outros temas que inevitavelmente são vistos em blockbusters.

O diretor Matt Reeves (Cloverfield) tem um bom roteiro em mãos e sabe como trabalhar a sua história ao manter um ritmo estável e agradável, sabendo também que se trata de um blockbuster que necessita de muitas cenas de ação. Reeves que já está confirmando na direção do terceiro filme deixa um bom gancho para a sequência que irá explorar ainda mais o conflito entre humanos e macacos. Descrever o longa apenas como um blockbuster é errado, o roteiro encaixa no meio das cenas de batalhas, questionamentos muito mais profundos, como a questão da ganância, o poder, a confiança, ambição e a inveja, tanto pelo lado dos humano como dos símios.

Planeta-do-Macados-O Confronto-4Cesar é um personagem muito consciente sobre sua existência e responsabilidades de tudo ao seu redor e sobre as consequências de ser o líder de sua raça e na mudança em seu olhar entre a primeira e a última cena é possível ver sua decepção tanto com os humanos como dos macacos. Em uma época onde um homem derruba sem motivo um avião matando 300 pessoas inocentes, Planeta dos Macacos – O Confronto levanta a questão de o quanto ainda somos parecidos com as nossas origens animais e se realmente estamos evoluindo ou andando para trás.

quatro_e_meio

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s