Deixe um comentário

Série Nova: Murder in the First – 1×01 – Pilot

content_picO canal TNT conhecido por exibir muitas séries policiais investe mais uma vez no gênero desta vez com Murder in the First, criada por Eric Lodal e Steven Bochco, responsável pela inesquecível Nova Iorque Contra o Crime. Murder in the First tem o estilo conhecido de Bochco, misturando os casos policiais com os dramas pessoais dos protagonistas, com diferença principal de que desta vez a história seguirá não o tradicional estilo de caso da semana, mas sim um crime que será acompanhado durante os 10 episódios da primeira temporada.

A dupla de detetives principal é formada por Hildy Hulligan (Kathleen Robertson, de Boss) e Terry Seagrave (Taye Diggs, de Private Practice). Cada um enfrenta sérios problemas pessoais; Hulligan teve uma complicada separação e cria sozinha sua fofa filha Louise (Mimi Kirkland); o drama de Terry envolve sua esposa Emily (Anne-Marie, Johnson) que está com câncer terminal e está prestes a morrer, o que acontece no final do piloto, algo que Terry tem dificuldades de aceitar. Hulligan e Terry investigam a morte de Kevin, um viciado que foi assassinado, mas antes de ser morto estava mandando um e-mail chantageando Erich Blunt (Tom Felton, o Draco de Harry Potter). Erich é um jovem visionário dono de uma bem-sucedida empresa de tecnologia; um jovem tão brilhante como egocêntrico e que não aceita ser contrariado.

O piloto teve como maior protagonista Terry e seu drama pessoal, com sérias dificuldades em aceitar que sua esposa irá falecer em breve, sentimento que tenta esconder no trabalho e para sua parceira, porém começa a perder a paciência facilmente mostrando sua raiva reprimida. Um personagem comum interpretado por um ator como Taye Diggs muito mais conhecido pelo seu carisma do que pela sua capacidade dramática, mas Diggs faz uma atuação decente e consegue passar relativamente bem as emoções de Terry. Kathleen Robertson é um caso interessante, uma atriz medianas e esforçada que desde que ficou famosa na série Barrados no Baile original está sempre presa aos seus atributos físicos; em todos os seus papéis de alguma maneira acaba chamando mais atenção pelo seu corpo do que pela sua atuação, exemplo disso é que na sua primeira cena nesta nova produção já aparece com pouca roupa. Com atenção voltada para Terry, a vida de Hulligan ficou mais em segundo plano com um tom mais leve como sua busca por um novo marido, visando mais sua luta para conseguir manter seu trabalho e cuidar também de sua filha.

Como era meio que esperado foi Tom Felton que roubou todas atenções no piloto, apesar do seu personagem bastante comum atualmente, não por ser somente o rosto mais conhecido, mas principalmente por estar virando um especialista em interpretar personagens dúbios. Inicialmente Erich parecia mais um jovem e inofensivo Bill Gates, porém a cada detalhe revelado sobre sua verdadeira personalidade ganhou um lado mais sombrio; isso ficou mais exposto na história, clichê, dele ter roubado de um amigo o código que o fez famoso, no momento que foi chamado de fraude pelo outro nerd foi possível ver talvez a sua verdadeira face. O personagem ganhou camadas que dificultam criar uma opinião se ele é ou não realmente o culpado pelo crime principal e também pelo segundo; a história da aeromoça que era sua amante e depois apareceu assassinada e nua (!), o coloca novamente como principal culpado, mas pode ser que talvez alguém tenha feito estes crimes para protegê-lo.

É sempre ruim e estranho quando o vilão torna-se mais atraente do que os protagonistas como aconteceu neste piloto, já que a dupla de policiais pareceu bem insossa e cheia de estereótipos, funcionaram muito melhor separados do que juntos quando a falta de química da dupla ficou visível. O caso que será narrado nesta primeira temporada também é lotado de velhos clichês e pouco inspirador e dificilmente irá apresentar alguma surpresa até sua conclusão.

O piloto de Murder in the First com sua linguagem tradicional não deixa dúvidas de que é apenas mais uma série policial, gênero que necessita urgentemente de uma produção mais revolucionária e ousada.

Vai dar certo? Talvez, o canal TNT é conhecido por acreditar e dar chances para suas produções, por isso é capaz que mesmo se audiência não for a esperada a série ganhe uma segunda temporada.

Para quem gosta de…: séries policiais, Tom Felton, Draco Malfoy.

O TV Cinema e Música vai acompanhar? Não, mais uma série policial descartável e sem nada de novo.

tres

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s