Deixe um comentário

Chicago PD – 1×11 – Turn the Light Off

NUP_162010_0749Que episódio sensacional de Chicago PD! Ação, drama humor e cada vez fica mais fácil se apaixonar por estes personagens! A cada semana Chicago PD se supera seja nos crimes e também no desenvolvimento dos personagens, conseguindo intercalar tanto as investigações com as histórias pessoais de cada integrante da equipe de inteligência.

Voight não tem perdão contra qualquer pessoa que faz algo contra sua cidade, não deixaria escapar os responsáveis pelo roubo de oito milhões (!) de dólares de uma empresa de segurança, o qual terminou com muitos mortos e feridos. Cada integrante da equipe teve um papel fundamental na investigação; Sumner sabe que corre contra o tempo e que precisa provar seu valor, mostrou sua força e coragem ao interrogar uma das vítimas que trabalhava no local do roubo e que estava envolvido no crime, porque todo mundo percebeu que alguém de dentro ajudou no assalto. O bacana deste interrogatório foi que Sumner não queria somente descobrir a verdade como dar uma bronca na testemunha que fingiu que os criminosos eram negros, o que foi nada mais do que racismo. Sumner também começa a se entrosar com a equipe, Antonio que ainda estava receoso com essa nova integrante deu um grande voto de confiança ao confiar a foto de Jules para Sumner, imagem que deve seguir de exemplo para Sumner ser uma detetive tão boa como foi Jules.

O mais bacana da história foi a reviravolta de um crime que poderia ser apenas um assalto feito por bandidos croatas e que virou uma guerra entre os europeus e a gangue colombiana local que roubou deles os oitos milhões. Foi uma ironia como a testemunha e envolvido no crime, Perko, pagou com sua própria vida pelas suas escolhas, em uma cena muito bem montada com o rapaz pegando fogo; algo que Ruzek e Al não conseguiram evitar. O que mais gosto em Chicago PD é que não tentam mostrar a polícia como homens perfeitos e santos, adorei como Voight enganou o irmão de Perko com um falso acordo para saber mais informações, Voight queria vê-lo mesmo ser morto pelo seu colega de cela colombiano, o preso fez sua própria cova e merecia mesmo sangrar. Voight também usou seus simpáticos métodos ao lado de Al contra outro homem que trabalhava no local do roubo e que também estava envolvido, Voight não cria medo através do uso do seu distintivo, mas na maneira ameaçadora que fala com suas vítimas que sentem a confiança em suas palavras de que é capaz de fazer qualquer coisa para conseguir a informação que deseja.

Ruzek e Burgess passaram por situações bem desconfortáveis neste episódio; o detetive recebeu uma intimação de Platt para ajudá-la a conseguir ganhar uma grana de seu pai, mas para isso precisava fingir que estava noivo dela. O tom cômico deste enredo foi colocado na medida certa, o medo de Ruzek de sair com Platt, o detetive e Al tendo certeza absoluta que Platt fazia isso porque não queria assumir sua homossexualidade para seu pai, teoria que estava totalmente errada. Já Burgess não queria subir em sua carreira por ter algo com um membro da equipe como Ruzek, até o Atwater tirou sarro da cara dela; por isso aceitou servir como isca para pegar o criminoso colombiano que estava com o dinheiro. Burgess não pensou com cuidado a responsabilidade e perigo de entrar em uma operação disfarçada como esta, na qual teria que fingir ser uma prostituta; pelo menos teve um pouco de ajuda da Nadia para se preparar, genial quando Nadia falou de seu pai a ter molestado, porque para fingir ser uma prostituta Burgess precisava tirar o brilho dos seus olhos e fazer uma cara de mais triste.

Um pouco contraditório de Erin ter pedido para Nadia ajudá-la nesta operação, entendo que Nadia estava se sentindo em dívida com Erin por tê-la decepcionada e por ser uma prostituta poderia ajudar Burgess, mas Erin colocou uma responsabilidade forte demais em Nadia que estava lutando tanto para superar o seu vício do qual estava limpa há 30 dias. Não sei como profissionais com experiência acharam normal e certo ir Burgess ir na operação sem usar esculta! Tudo por culpa dos aparelhos de Jin que não funcionaram, talvez o japonês precisa parar de ficar olhando para as pernas da Erin e se concentrar mais no seu trabalho; o elogio de Jin para Erin na frente do Voight foi de chorar de rir!

A operação por pouco não terminou em tragédia, o objetivo era reconhecer e prender Rolo, mas não esperavam encontrar com Munoz, um outro colombiano violento e praticamente um mestre das artes marciais; além de ter espancado a coitada da Burgess, deu uma bela porrada no Ruzek, praticamente finalizou Halstead e ainda conseguiu fugir! Pelo menos Voight e Al pegaram o Rolo e em uma conversa bem amigável descobriram aonde estava o dinheiro. Sinceramente não sei o que passou na cabeça de Voight ao oferecer parte da grana para o o enviado da corregedoria Ed, que já tinha provado antes que não entraria neste tipo de jogo do sargento, Voight vai ter que trabalhar da forma correta para um dia conseguir se livrar da sombra de Ed. O caso teve uma última reviravolta com a descoberta de que a busca pelo fugitivo ninja Munoz seria passada para outra equipe, para piorar tudo quem vai ajudá-los a pegar Munoz é o Pulpo, isso o mesmo o sequestrador do filho de Antonio vai ser libertado em troca de ajudar a pegar o colombiano, o que deixou, com toda razão, Antonio revoltado.

Coitada da Nadia que para salvar a vida de Burgess foi obrigada a usar cocaína e perder todo o esforço que tinha feito para se livrar da droga Erin teve que corrigir o erro que cometeu com Nadia e a levou a clínica para recomeçar sua reabilitação, espero que desta vez Erin pegue mais leve com Nadia já que foi por causa dela que que sua amiga teve uma recaída. Falando na vida pessoal de Erin que está dando mais atenção para sua vida amorosa levando as coisas bem devagar com Severide, só mesmo uma detetive dura como ela para controlar o atrevido do Severide. Com isso parece que o casal Erin e Halstead não vai acontecer tão cedo; o detetive decidiu dar uma chance para Allie, a sua namorada da época de escola e que era irmã do Ben, o garoto que foi assassinado por Lonnie. Bacana ver não só Halstead investindo em um possível relacionamento com Allie, como também ver a família de Ben começando a se reerguer agora sabendo que a justiça foi feita.

Ruzek fez tudo certinho no jantar com o pai de Platt, comportou-se muito bem e ajudou Platt, que se chama Trudy, a ganhar a grana que precisava, mas o novato não conseguiu fechar a boca e tinha que ter dado o gigantesco fora de chamá-la de lésbica, o que Platt não é! Uma inesperada surpresa Platt não ser lésbica, a sargento dava todos os sinais para essa teoria e ainda ficou ofendida com Ruzek por este mal entendido; com certeza Platt colocará Ruzek na lista de suas vítimas, coitado dele que vai ter que trabalhar com ela diariamente!

Chicago PD terá uma pausa e retorna em 29 de abril com um episódio bastante especial com uma história que vai interligar a série com sua Chicago Fire, colocando todos os personagens trabalhando juntos mais uma vez, imperdível!

quatro

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s