Deixe um comentário

Continuum – 3×04 – Minute Changes

Captura de tela 2014-04-07 às 14.30.15Ter uma visão do que vai acontecer no futuro faz com que Kiera enxergue o mundo de uma maneira fechada e como analisou Carlos a protetora precisa parar de pensar através do que sabe do futuro, mas pelo que sente no presente em seu coração. O caso desta semana ensinou Kiera que a Liber8 é apenas consequência de um futuro ruim e que nem sempre eles são os culpados de tudo, existe um mal muito pior do que as corporações ou as organizações terroristas, o próprio ser humano.

Toda a crise envolvendo o grupo estudantil que acreditava nas palavras da Liber8 foi o início da opressão que Kiera conhece no futuro onde as corporações ditam o que pode ou não ser pensado; Kiera tem experiência o bastante para entender que não existe segurança através do medo, porque a consequência de um sistema como este é o ódio de sua própria população. O flashfoward e o caso estavam mais uma vez interligados, em ambos a questão de fazer o que é correto como um ser humano antes de seguir  qualquer lei; Kiera agiu certo no futuro ao deixar um diretor de uma corporação morrer para salvar a vida de duas crianças, o que incluiu uma bela cena com os seus colegas protetores secretamente a apoiando. Este flashfoward é o exemplo de como é possível pensar sozinho e agir da maneira correta mesmo sendo fora das regras.

Tendo esta experiência Kiera tentou provar, apesar de ninguém acreditar nela, que o policial tinha matado a estudante em um erro e que merecia pagar por ele, algo que o próprio não queria fazer. O que cabe aqui é que assim como todos da Liber8 protegem um ao outro, os policias fazem o mesmo se for o melhor para todos; de maneira alguma a polícia deixaria a carreira de um policial ser desperdiçada e a instituição ser manchada por causa da morte de uma jovem terrorista. A moça que morreu pagou com sua vida por acreditar em algo além do sistema comum, porque até em uma organização terrorista como a Liber8 existem ideias que se tiradas da violência podem ser importantes. O professor da faculdade foi perfeito ao explicar para Kiera os motivos destes jovens acreditarem na Liber8 pelos seus ideais de um mundo melhor, mas no momento que sofrem opressão e assistem uma jovem ser injustamente morta e ninguém pagar por isso,  começam a acreditar na ideia de que a violência é a única solução, assim cria-se um monstro.

Casos como este também são oportunidades para malucos como o Julian aparecer com seus ideais distorcidos e incentivar o caos; Julian mal saiu da cadeia e já usou tudo que estava acontecendo para voltar a ser a voz do movimento, até tentou resistir mais não consegue perder a oportunidade de agredir as corporações e atacar os seus inimigos como Kiera e Carlos. Julian respondeu a altura ameaça de Carlos invertendo a situação e colocando o policial como o inimigo; Julian fez uma forte provocação quando chamou Carlos de o verdadeiro hipócrita nesta história por tudo que fala e pouco faz, o que irá confundir ainda mais a instável mente de Carlos.

A vida de Carlos não está nada fácil, precisa lidar com a morte da sua Kiera pela qual estava visivelmente apaixonado e por isso não aceita essa nova Kiera, as cenas dele fazendo carinho no corpo da sua antiga parceira foram, no melhor sentido possível, bizarras demais. O policial está perdido sem sua antiga parceira e começa a questionar tudo, nada tem para ele o mesmo sentindo que tinha antes e pela primeira vez até ficou cansado das dicas do futuro de Kiera, Carlos quer viver o presente e parar um pouco de se preocupar com o que irá acontecer daqui para frente. Não ajudou nada para Carlos recuperar sua confiança nas pessoas descobrir que Beth estava trabalhando para Liber8. Beth se acha tão esperta, mas cometeu um erro básico de esconder da forma mais visível possível o chip da sua linha secreta e que ficou exposta com a morte da garota ligada a Liber8; risível Beth tentando fingir que era santa e que estava sendo apenas usada pela organização terrorista; seria um desperdício colocar Beth na prisão e Kiera teve uma ideia genial de usá-la como isca para pegar a Liber8. Carlos está cansado de ser traído pelas pessoas que confia e perder tanta pessoas de que gosta, a traição de Beth o fará se isolar ainda mais e vai continuar com este comportamento instável.

A vida de dono de uma grande companhia como a Piron não está sendo fácil como Alec imaginava que seria; acreditava que seria só uma questão de assumir a cadeira de seu pai e já teria respeito de todos do conselho. O que Killog quis dizer nas entrelinhas foi que Alec precisava tirar sua postura de bom garoto e assumir uma imagem parecida com o que seu pai tinha, só assim deixará de ser sua sombra e assumir seu lugar. Killog é como um diabo no ombro de Alec o incentivando a fazer coisas antes impensáveis para ele e assim se aproximar dele com seus próprios desejos. Alec ao criar esta aliança com Dylon começou a mudança para torna-se o Sandler que conhecemos bem do futuro, ao usar sua própria empresa para reforçar a polícia não entende que isso não trará no futuro coisas boas para a população, apenas para a própria polícia e as corporações.

Uma virada na trama é que o Alec do passado talvez seja Sandler do futuro, a sua postura, a maneira de caminhar, o terno tudo mostra o magnata do futuro; o que pode ser um forte indício de que também no futuro existem dois Alecs e que o Alec deste futuro foi que enviou Kiera para o passado, sendo que tudo isso não passa de teorias criadas por mim. Mais rápido do que esperava o Alec do passado encontrou com a sua versão do futuro e um embate aconteceu, tudo por causa de Emily; o Alec do futuro ama a ruiva cegamente e tem o sentimento da culpa por ela ter morrido enquanto o do passado não tem essa culpa, mas o ódio por descobrir as mentiras dela e aliança com seu pai. Emily é a causadora desta divisão e os dois Alecs passam a ser inimigos, não chega a ser surpresa Emily escolher o Alec do futuro, afinal ele é ainda aquele garoto que a ama e que entende tudo que aconteceu com ela e seu pai. Outro ponto que pode aumentar esta divisão entre os dois é a revelação de Emily ser a assassina de Escher, o mais provável é que o Alec do passado fique com mais raiva dele e deseje vingança, o que o do futuro tentará impedir.

tres_e_meio

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s