2 Comentários

Game of Thrones – 3×01 – Two Swords

Pedro-Pascal_612x380O quarto ano de Game of Thrones começou com uma cena que marca esta nova fase da série; Twyin derretendo a magnífica espada de Ned e a transformando em duas espadas que serão usadas pelos Lannisters, ironicamente para seus dois filhos mais rejeitados. Essa abertura deu o primeiro passo para este novo ano que ainda vive das consequências do inesquecível Casamento Vermelho; tenho mais do que que certeza que este marcante evento foi o melhor que aconteceu para a série. A morte dos Starks trouxe um novo e ainda maior clima de guerra para a trama que terá como seu principal tema neste ano, a vingança!

Cada Stark lidou de diferente maneira com a perda; começo propositalmente falando do fim do episódio e melhor enredo que mostrou a pessoa que foi mais afetada pelas novas mortes dos Starks, Arya. É sempre divertido ver a relação de amizade e ódio dela com o Cão de Caça, o tempo passa e os dois mais se aproximam e modificam um ao outro; espetacular a cena no bar onde Arya reencontrou Polliver que tinha matado seu amigo e que estava com sua pequenina Agulha. O Cão queria evitar um confronto, mas vendo a falta de caráter dos homens liderados por Polliver, que até violentavam uma garota, não se segurou e entrou no jogo provocando seu rival ao limite; amei o sarcasmo dele criticando o Rei e concluindo com um inevitável conflito. O Cão matar os homens com violência e frieza já era algo esperado, mas nesta parte deu para ver a mudança de Arya entrando na luta e com um enorme prazer repetindo as próprias palavras de Polliver e o matando como tinha feito com seu amigo; o sorriso no rosto dela e o prazer depois indo embora, montada no seu sonhado cavalo, foi o início de uma fase sombria e de amadurecimento para a personagem.

Arya cresce e Sansa fica cada vez mais chata com seu comportamento adolescente, agora fazendo até greve de fome e sonhando com a morte para sair desta vida infernal ao lado dos Lannisters, somente mesmo um bobo da corte para alegrá-la. Coitado de Tyron que teve que aguentar essa sua esposa mala e outros muitos problemas; afinal ser um diplomata desta sua família tem um alto preço. Foi cômico e deprimente como Tyrion foi colocado de alvo para receber o príncipe de Dorne e dando de cara com a porta para descobrir a chegada de um personagem marcante, Oberyn Martell, o Víbora Vermelha! Oberyn fez uma apresentação magnífica na história seja com as prostitutas, e sua bissexualidade, e depois revelando o seu imenso ódio pelos Lannisters; incapaz até de ouvir uma música que lembre da existência deles. Tyrion ficou frente a frente com este homem que odeia sua família pelo que fizeram contra sua irmã e sobrinhos, obviamente veio para o casamento de Jeoffrey com o único intuito de se vingar; Oberyn veio para dar mais emoção para o Porto Real, mesmo estando sozinho apenas com sua amante causará arrepios nos Lannisters. Engraçado também como Tyrion conversou com o Víbora, morrendo de medo e bastante alerta sabendo que poderia ser morto a qualquer momento, mais um presente da sua adorada família; se não bastasse o medo de ser morto, Tyrion ainda tenta encontrar uma maneira de agradar Shae, insatisfeita e com ciúmes da aproximação dele com Sasha, exigindo que tome uma decisão sobre o que quer dela; Tyrion precisa repensar se é realmente um bom diplomata, porque neste episódio foi péssimo nesta função.

Quem também vive as amarguras de ser um Lannister é Jaime, outro personagem que mudou muito nestas duas temporadas; Twyin como sempre dúbio e sarcástico dando a espada forjada com a de Stark unicamente para tentar convencer Jaime a mudar de função, mas o Rei Regicida quer provar que ainda merece este nome e deseja continuar a ser um bom guerreiro mesmo com uma mão e outra dourada! Não existe maior personificação maior do poder dos Lannisters do que aquela exagerada e dourada mão. Jaime está no meio de duas mulheres de diferentes pensamentos; Cersei aprofundando-se na bebida e em suas lamúrias pela proximidade de seu novo casamento colocando em Jaime a culpa de seus problemas; Jaime quase deu sua vida para voltar para ela e continua no Porto sendo humilhado por todos, incluindo pelo patético do Joffrey, para ficar próxima dela que o trata com desprezo. Do lado oposto Brienne, com uma roupa bizarra, tenta tirar algo de humano e bom de Jaime pressionando a cumprir sua promessa de salvar Sansa, Jaimie ficou um pouco intrigado em ajudar esta garota de sua família rival.

Ainda nos inimigos dos Lannisters; Daenerys aprende que seus enormes dragões são animais incontroláveis, dão a ela o direito de agradá-los e fazer companhia, mas são animais livres e não querem ser tratados como cachorros. Assim como os dragões o coração de Khaleesi tem um controle maior nela do que pensa, Daario com seu jeito meio bobo e também de guerreiro sabe como conquistá-la e Khaleesi abre uma porta perigosa ao abrir esta aproximação da parte dele, não gostaria de ver ela com este homem que não é digno dela. Mesmo assim Khaleesi continua forte no seu objetivo maior que é reconquistar o seu lugar, é sempre bacana ver a força desta personagem que preferiu ver 262 crianças mortas pelo caminho do que fingir que nada acontecia, quase como uma lembrança forçada dos motivos para ela continuar sua jornada em busca do poder que lhe foi tirado.

Enquanto todas essas tramas vão se interligando, para lá da Muralha uma guerra está prestes a começar, Ygritte ainda fica no meio termo entre ódio e amor por Jon Snow sendo alvo das piadas de Tormund, que viu a chegada de um perigoso aliado, Styr, integrante do clã Thenn, os canibais! Os selvagens sempre foram um grupo de personagens que criam um contraponto tão interessante entre a fúria deles e o poder social dos Lannisters. Já na Muralha Jon Snow também não é mais o mesmo, amadureceu muito, suas palavras falando sobre o ciúmes que tinha de seu irmão foram bastante emblemáticas e sentindo a perda destes familiares de uma maneira que não imaginava que sentiria. Gostei da força que teve para encarar o conselho com Thorne e Slynt sendo forte ao assumir que não só rompeu o código deles como ao dizer que precisam dele e por isso não o matariam, o que é a pura verdade. Jon Snow ultrapassa a imagem de bastardo jovem e meio tímido, tornando-se um homem mais forte e decidido.

Um início de temporada impactante, direto e reto nos personagens e temas que vão guiar este novo ano de Game of Thrones!

quatro_e_meio

 

2 comentários em “Game of Thrones – 3×01 – Two Swords

  1. Continuo traumatizada desde o episódio 3.09, estou sempre alerta, de testa franzida e coração apertado esperando alguém levar uma facada nas costas. Que essa seja mais uma temporada espetacular \o/

    • Todos estamos traumatizados, a dica é não se apegar a ninguém e pensar que todos podem ser próximas vítimas, mas espero que a série vai ficar ainda melhor com menos personagens.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s