Deixe um comentário

The 100 – 1×03 – Earth Kills

the-100-earth-killsOs 100 estão em uma situação em que são forçados a tomarem atitudes difíceis para pessoas ainda em crescimento, ainda mais sem ajuda de pessoas adultas e mais experientes. A sombria garota Charlotte foi o exemplo desta nova realidade, apenas uma criança traumatizada pela triste lembrança ver seus pais serem mortos e depois sendo de forma assustadora mandada com os outros para este inóspito planeta.

Chalortte teve apeanas dois, Clarke e Bellamy, exemplos de pessoas que a acolheram para se espelhar, mas sem maturidade acabou pegando o pior de cada um. Clarke no seu encontro com Charlotte presenciado seus pesadelos tentou acalmá-la e tirar força para superar este recordação triste da morte de seus pais; Clarke teve uma presença materna com a garota a tratando de forma gentil. Para o líder revolucionário Bellamy o mais forte precisa ganhar, por isso não existe espaço para as pessoas fracas e medrosas; visão que passou para Charlotte a quem também protegeu, mas mostrou que precisa encarar seus medos e ter força para derrotá-los, o que a garota levou da maneira errada.

Mesmo depois de tudo que passou de ruim nesta vida Clarke não deixou de ser uma boa pessoa e sempre se preocupa com o outro; foi a única que acreditava que Jasper ainda tinha uma chance de sobreviver e iria até o fim para tentar fazê-lo melhorar, partindo com Finn e Wells em busca de um remédio para o garoto. Jasper criou uma nova crise interna com suas altas, demais para um moribundo, lamúrias que estava irritando os outros jovens que não conseguiam ter um minuto de silêncio; Bellamy é diferente de Clarke em tudo, não tem paciência e na sua visão Jasper já estava morto.

A ameaça da semana veio na forma de uma espécie de nevoeiro formado por algum produto químico que tinha um efeito ácido que matava ou melhor derretia aqueles que encostava; uma ameaça que não tinha como ser destruída apenas fugir e se esconder até que a fumaça fosse embora. A chegada do nevoeiro serviu para que Clarke, Wells e Finn ficassem presos dentro de um antigo carro e como típicos adolescentes acabaram encontrando uma velha garrafa de uísque a qual os ajudou a desabafarem o que estavam sentindo. Clarke vive com o peso de muitas perdas e decepções em sua vida, logo cedo teve que assumir sérias responsabilidades que a tornaram uma pessoa fria e séria demais, a própria tem noção disso e acredita que ainda pode ser uma pessoa alegre, mas não será isso até que consiga a justiça pela morte de seu pai.

Clarke não teria como perdoar Wells pela morte de seu pai; quem surpreendeu neste episódio foi Finn que mesmo interessado em Clarke tentou melhorar o clima entre ela e Wells, aprofundou-se para descobrir a verdade e percebeu que Wells estava escondendo algo. Finn ficou no meio da briga e das provocações dos ex-melhores amigos e foi o responsável por fazer com que Clarke parasse de mentir para si mesma e encarasse os fatos sobre sua mãe ter sido a pessoal que entregou seu pai. O flashback foi encaixado da melhor maneira possível para contar logo como aconteceu a descoberta do pai de Clarke, Jake, sobre o defeito da nave e as consequências de como isso iria afetar a vida de todos na Arca.

O flashback revelou detalhes cruciais para entender melhor elenco adulto; logo na primeira discussão de Abby e Jake sobre revelar ou não a verdade matei que tinha sido ela mesmo que tinha entregado o seu próprio marido e que o coitado do Well foi usado apenas de bode expiatório. Wells aceitou ser usado neste mentira porque ama perdidamente Clarke, mas também por pressão de seu pai que também tem fortes sentimentos por Abby! O Chanceler olhou com ciúmes e desprezo para o casal Abby e Jake, não pareceu em nenhum momento se sentir mal por ter dado a ordem para matar Jake, tirando assim seu rival da competição e tendo a oportunidade de ficar mais próximo de Abby. Wells foi usado por todos e Clarke não quis enxergar a verdade que sempre esteve na sua frente, dentro de si sempre desconfiou de que sua mãe era a responsável pela morte de seu pai; o que também explica o motivo de Abby insistir tanto que a terra pode ser a salvação para todos, uma maneira de se redimir pela traição contra seu marido e honrar a sua vida.

Gostei de ver como Octavia está encarando seu irmão e tentando mostrar que não precisa de sua exagerada proteção, ficou revoltada ao descobrir o que Bellamy tinha feito contra Adam, que com medo depois de ser vítima de novas torturas ignorou a bela jovem. Octavia apesar de seu jeito adolescente é uma pessoa bastante decidida e corajosa, encarou o mala do Murphy que se sentindo rejeitado resolveu descontar toda a raiva que estava sentindo em Jasper, o que Octavia não deixou acontecer. Murphy é um coitado, uma sombra de Bellamy que se faz de durão e forte, mas é nada mais do que um garoto irritante, levou uma série de foras neste episódio, seja de Octavia e de Bellamy, que já sabe que não pode contar como imaginava com ele. A relação de Octavia e Bellamy chega a um impasse, enquanto o vilão não perceber que precisa parar de tentar controlar sua irmã, os dois vão continuar entrando em choque e ficando em lados diferentes.

Octavia não perdoará Bellamy tão fácil pela morte de Adam e por tudo que seu irmão fez tem razão de achar que seu pretendente morreu por causa de Bellamy. A morte de Adam foi uma cena reveladora sobre Bellamy e Clarke; o vilão tentou tanto mostrar para Charlotte que precisa ser forte e a própria garotinha deu a sua faca para que matasse Adam que estava sofrendo pelas queimaduras da fumaça; inesperado ver como Bellamy travou neste momento e não teve força para matar o mesmo garoto que horas antes torturou; isso coloca em cheque o quanto Bellamy fala muito, mas faz pouco. Quem tomou a faca e coragem de matar Adam foi Clarke que forma delicada e gentil tirou a vida do garoto que se foi em paz.

Para uma criança traumatizada e com medo como Charlotte ver Clarke matando Adam foi algo que causou ainda mais confusão em sua cabeça; a jovem uniu o que Clarke disse para ser forte com as palavras de Bellamy sofre enfrentar seus medos e decidiu fazer algo que acabasse com seus pesadelos, matar Wells, o filho do Chanceler que foi o responsável pelo assassinato de seus pais. Aterrorizante a frieza que Charlotte enfiou a faca em Wells e o matou sem dó observando ele morrer com muita dor e de forma lenta. Charlotte desta maneira acreditava que poderia esquecer o que aconteceu com seus pais, o que não irá acontecer, mesmo sendo tão nova fez uma falsa justiça com suas pequenas mãos, sem ter muita consciência da responsabilidade de tirar a vida de uma pessoa.

Matar um personagem importante e em uma fase de crescimento como estava vivendo Wells foi algo audacioso e bastante impactante para a série como produção e para a própria história. Wells foi assassinado minutos depois de ter conseguido completar o seu objetivo para ter entrado na nave que era reconquistar a confiança de Clarke e ter o seu perdão, mais uma vez foi prejudicado pelos erros e escolhas de seu pai, que quando descobrir o que aconteceu terá que assumir ser o real culpado pela morte de seu filho. A morte de Wells deve ser um divisor na trama e a questão de como os outros jovens vão lidar com essa perda, fica a curiosidade para saber se Clarke irá entender e perdoar a pequena Charlotte e se Bellamy será capaz de punir uma criança pela morte de outra pessoa.

Episódio bastante sombrio de The 100 centrado em como este ambiente irá mudar estes jovens para sempre; a série foi aqui além do que esperava com coragem de ser muito mais do que uma série adolescente e  dar uma forte carga de dramaticidade para sua história.

tres

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s