Deixe um comentário

Arrow – 2×18 – Deathstroke

Deathstroke“Eu sou o meu pior inimigo”, como um tolo Oliver caiu no golpe de Slade/Deathstroke que cumpre sua promessa de destruir tudo ao seu redor somente para depois matá-lo. A tortura física que Oliver passou no barco não é nada comparada a psicológica que Slade começou a fazer destruindo a confiança que Oliver tem em si e o fazendo tomar, muitas vezes sem saber, uma série de decisões erradas.

Mesmo com os efeitos da Mirakuru, Slade (Manu Bennett dando um show como vilão!) não perde a paciência e não age sem pensar, com seu terno sempre arrumado ou com sua roupa de Deathstroke (apelido aprovado pelo próprio) não usa a sua descomunal força física para destruir seu inimigo, mas sua inteligência em um plano que ficou anos arquitetando cada detalhe, afinal teve tempo de pensar nisso enquanto nada para fugir da ilha, bizarro pensar ele nadando tanto tempo! Um vilão sarcástico a ponto de dizer falsamente que não é do tipo de guardar rancor!

Slade quer provocar Oliver a um ponto em que cometa erros bobos como prender o próprio vilão pelo sequestro de Thea sem ter prova alguma. A prisão de Slade foi uma oportunidade de grandes atuações tanto de Bennett como de Stephen Amell quando ficaram frente a frente; o vilão quer muito mais do que ver Oliver se humilhando e implorando, mas vê-lo se autodestruir. O que faz de Slade um vilão único é a sua habilidade de arquitetar um plano complexo e ter a paciência para vê-lo ser colocado em prática, armou perfeitamente com o sequestro de Thea uma situação que deixaria Oliver descontrolado e agindo sem pensar, como ao pesar o cargo de CEO da Queen Consolidated para Isabel Rochev (Summer Glau também incrível!)!

Quem já leu os quadrinhos da DC já tem uma noção para onde essa história da Rochev seguirá, como uma serpente Rochev foi cercando Oliver até lhe dar o bote e roubar dele sua querida empresa. Rochev não é uma mera empregada de Slade, mas tem suas próprias habilidades como ninja e tirou sarro da cara de Oliver por não saber quem ela era realmente; como ao dizer que era triste que Oliver não descobriu sua identidade e que os pecados de um pai são também de seu filho; tenho até minha suspeita sobre a identidade de Rochev, mas prefiro guardá-la para não estragar uma futura e nova surpresa na trama; a melhor notícia é ver Rochev saindo das sombras e assumindo um papel mais importante nesta guerra de Slade contra Oliver.

Em sua pressa para salvar Thea Oliver entregou para seu inimigo a sua companhia que será usada exatamente contra a si próprio com Slade usando os inúmeros recursos da Queen para criar o seu exército Mirakuru, integrado exatamente pelos homens que Oliver colocou na prisão. Não adiantará nada Moira ganhar a eleição para a prefeitura se não tiver uma cidade para liderar, Slade não quer Blood como prefeito, mas o líder do exército de super homens que está criando e que vão trazer o caos para Starling City.

Moira precisou ficar perto de novamente perder um filho ou no caso filha para compreender que estava cometendo o mesmo errou que a afastou de sua família no passado; Moira na sua empolgação pela sua candidatura e a possibilidade de ter mais poder em suas mãos esqueceu de dar o valor que sua família merece, foi cabeça dura ao não entender o porquê Oliver estava, com razão, a tratando de maneira fria. Por mais que tenham desavenças os dois precisam ficar unidos de qualquer maneira diante da mentira que ambos esconderam de Thea e que pode custar a perda da confiança e amor dela. O melhor golpe do Deathstroke foi com Thea não ao sequestrá-la, mas ao oferecer a opção dela descobrir que Oliver, a única pessoa em que confiava também estava mentindo para ela. Thea ficou destruída não somente por descobrir que Merlyn era seu pai, mas como Oliver tinha escondido algo tão importante; a vitória de Slade foi que Thea se distanciará de sua família e pode cometer decisões erradas como no passado, com isso a relação até então tão forte entre irmãos acabou.

Quem Oliver também perdeu foi Roy que ainda com os efeitos da Mirakuru e com seu comportamento adolescente colocou a culpa de tudo que aconteceu com Thea no seu mentor; por um lado Roy estava certo porque a ideia dele se separar de Thea foi de Oliver e isso quase custou a vida dela. Roy está certo quando disse que era melhor contar a verdade para aqueles que ama do que afastá-los para protegê-los a distância como heróis. Essa crise no time Oliver foi interessante para ver como todos ainda acreditam no seu líder; Diggle e Felicity tentaram convencer Roy a mudar de ideia, já Sarah sabia que dificilmente Roy mudaria de opinião e já o tinham perdido. Roy está preso nas suas dúvidas sobre como seguir sua vida depois de tantas mudanças físicas e mentais, este tempo fora de Starling City pode ser bom para que repense melhor e quando retornar esteja mais centrado para ajudar Oliver a acabar com Slade.

Ainda no time Oliver; Diggle como de costume quando é preciso assume o lugar de Oliver como líder e tentou ser um mentor para acalmar Roy que preso na sua raiva preferiu deixar o time; Felicity linda e adorável foi a única a perceber que em certos momentos Oliver tem que fazer o que é certo mesmo que pareça uma loucura como enfrentar Slade sozinho, porque como uma equipe precisam confiar nas decisões dele. Felicity citou com um olhar de triste o seu querido pretendente Barry Allen que continua ainda se recuperando do raio que levou em seu corpo, o que pela estática não deve acontecer novamente; mal sabe Felicity que sua paquera está prestes a torna-se um herói.

Contraditoriamente Shado é o que motiva e o o que enlouquece Slade, a ponto de vê-la em sua cabeça! Estava achando estranho que Slade não tinha tido até o momento nenhum efeito colateral da Mirakuru que surgiu na miragem que criou de Shado; criando assim uma voz que o motiva a cometer os seus atos para vingar a morte de sua amada. O flashback mostrou essa primeira visão que Slade teve quando Sara tentou enganá-lo e o vilão decidiu que o maior castigo para Oliver, Sara e os outros seria ficar para sempre naquela ilha enquanto iria destruir toda a família de Oliver; pela própria conversa entre Oliver e Slade deu para entender que algo aconteceu com o barco e por isso Slade saiu da ilha nadando.

O que impressiona em Slade é a sua frieza e confiança dizendo para seus parceiros Blood e Rochev que iria fazer algo para distrair ainda mais Oliver e daí vai lá e conta para Laurel que Oliver é o Arqueiro, assim como Laurel fiquei sem reação e pasmo com o que estava acontecendo! Essa revelação acontece em um momento crucial onde Quentin por ter acreditado no Vigilante e prendido Slade sofreu uma dura punição sendo ele próprio preso por não revelar a identidade do Vigilante! Laurel deve pirar novamente e ficar entre contar a verdade e ver seu pai ser libertado ou guardar o segredo de Oliver; além do que essa descoberta trará de volta a questão sobre a morte de Tommy, a qual Laurel culpou o próprio vigilante!

Como disse o próprio Oliver é hora de contra-atacar antes que Slade acabe de uma vez com toda sua vida; Oliver assumiu seus erros, o que é bom, mas não pode perder a confiança em si mesmo e felizmente pode sempre contar com Felicity, Diggle e Sara ao seu lado para levantá-lo quando cair e ter força extra para se levantar, para derrotar de uma vez Slade e seus aliados. Esta guerra vai ter uma pausa para um descanso porque Arrow terá seu próximo episódio inédito exibido somente no dia 16 de abril quando vai entrar de vez na reta final da sua segunda espetacular temporada!

cinco

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s