Deixe um comentário

Grey’s Anatomy – 10×17 – Do You Know?

Greys-Anatomy-10x17-Do-You-Know-22Quem é você? Você sabe o que aconteceu com você? Você quer viver desta maneira? Três perguntas que em algum momento da vida você terá que fazer a si mesmo e encarar a dura realidade de que não conseguirá tudo que deseja.

Essa temporada marca a despedida da atriz Sandra Oh de Grey’s Anatomy e Shonda Rhimes começou a preparar a despedida da nossa querida Yang com este episódio que mostrou três realidades alternativas na vida da doutora. Yang nos últimos anos se dividiu entre duas coisas, seu amor pela medicina e o que sente por Owen, uma batalha para tentar de alguma maneira ter os dois em sua vida. Basta um paciente para mudar a vida de um médico, com Yang não foi diferente; depois de fazer a “mamba” em uma complexa cirurgia cardíaca salvando a vida de um paciente que sofreu um acidente de carro, a vítima acabou ficando quadriplégico e sua esposa sabia que talvez seu marido não quisesse viver nesta situação onde iria para sempre precisar de um aparelho para respirar; coube a Yang questioná-lo se queria desligar os aparelhos e morrer ou não.

Na primeira realidade alternativa o paciente preferiu morrer e isso fez Yang questionar toda sua vida ao ver que um paciente que tinha acabado de salvar a vida preferiu morrer; pensou se realmente valia a pena continuar se dedicando a profissão ou se deveria dar mais atenção para o homem que ama, Owen, e finalmente ficarem juntos. Nesta realidade quem teve que fazer o sacrifício para o casal ficar junto foi Yang aceitando não ter uma criança, mas um cachorro, coitadinho era feio demais o Senhor Rodriguez, que tornou-se quase um filho para a cirurgiã.

O casal estava contente, mas inevitavelmente tiveram um novo conflito sobre o que querem para suas vidas; Owen recebeu uma excelente proposta do exército, mas o trabalho era na Alemanha! Assim para não perdê-lo Yang fez o maior sacrifício e aceitou ser mãe de um belo menino, o qual por mais que se esforçava não conseguia ter um carinho real. A cena dela olhando a criança chorando e não fazendo nada foi de uma pessoa que não está destinada a ser mãe; mesmo assim Yang, como em tudo na sua vida, esforçou-se ao máximo para ser uma boa mãe e assim sacrificou sua carreira por isso; passando seu sonhado estudo para Ross. Os anos passaram e Yang, grávida novamente, foi ficando cada vez mais deprimida, tendo uma vida que deveria deixá-la feliz, mas isso não acontecia. A derrocada final foi ver Ross, mais velho e com uma barba estranha, ganhar o Avery Award pela pesquisa que ela tinha iniciado; o que a deixou em um estado lamentável ao ver o que aconteceu com sua vida.

Então surgiu a segunda realidade na qual o paciente escolheu viver e então Yang continuou acreditando que a medicina é o seu destino e deixou Owen em segundo plano, mas não conseguindo ficar longe dele. Yang parece ter um vício em Owen e vice-versa, um relacionamento que sabem que não vai dar certo, mas insistem em continuar juntos; nesta realidade tendo uma relação totalmente casual e sem futuro. Aqui quem pagou o preço foi Owen que mesmo querendo ter uma família aceitou ter este relacionamento sem compromisso com Yang para não perdê-la.

A inversão nesta realidade foi que o paciente de Yang acabou tendo o papel de mudar a vida não dela e sim de Owen. Yang voltou a se concentrar totalmente em seu estudo e tornando-se até mais fria do que é normalmente, a ponto de não se importar mais com o paciente quadriplégico. A inversão de papéis começou com Owen assumindo o caso do paciente e tentando melhorar sua vida com o estudo de Derek e Callie, o qual avançou bastante e conseguiram até fazer o paciente voltar a andar. Este caso criou um paralelo com a relação de Yang e Owen; o paciente decidiu unicamente continuar vivo para não deixar sua esposa sozinha, e ela ficava com ele por causa deste sentimento de culpa, o amor deles transformou-se em um ódio; um culpando o outro por destruir sua vida e seus sonhos.

Esperava que depois desta situação com o paciente, incluindo o constrangedor beijo, Owen se levantaria e terminasse com Yang percebendo que não seria feliz nesta relação, mas isso acabou vindo de Yang que percebeu antes que estas vindas e idas do relacionamento era ruim. Desta vez foi Owen que seguiu o caminho da tristeza sem fim, duro ver Owen entregue a bebida e desperdiçando sua carreira; pior ainda foi ver ele depender de April para saber se poderia ou não continuar trabalhando, ninguém merece chegar em um ponto da vida em que a April tenha em mãos a decisão sobre seu futuro. Enquanto isso Yang tinha o futuro que se espera dela como médica, ganhando prêmios e sendo reconhecida por anos de dedicação a melhorar a vida de muitas pessoas; o episódio até criou uma armadilha na qual você acreditava que Yang estava esperando por Owen, mas na verdade aguardava Ross que tornou-se o seu braço direito e a apresentou no prêmio, o qual fez o mesmo discurso sobre como um paciente muda a vida de um médico.

A triste conclusão que Yang tirou de ambas as realidades é que por mais que ela e Owen sejam feitos um para o outro, não estão destinados a ficarem juntos. As duas realidades mostraram que querem coisas opostas para suas vidas, se ficarem juntos vão ter que fazer duros sacrifícios e um acabará prejudicado. Yang deixou Owen entrar no elevador e não falou nada, porque sabe que não poderá continuar com Owen em relacionamento casual porque isso no futuro irá prejudicar a vida de ambos. Yang sabe que o que mais ama é ser uma cirurgiã, mesmo que o preço disso seja uma vida solitária longe do homem que sempre amará. Algo que em todas as realidades foi permanente é a sua amizade com Meredith, nas três realidades tudo girou de volta para Meredith, a pessoa que Yang sempre poderá contar e se apoiar.

Um episódio muito bonito e que fez não só um criativo e bem montado questionamento sobre o futuro de Yang, como também uma homenagem pela sua história marcante nestes dez anos de Grey’s Anatomy, deixando a certeza que será muito difícil assistir a sua despedida da trama.

Comentários extras sobre as realidades alternativas:

Em ambas as realidades Jackson machucou a mão em acidente bobo que destruiu sua carreira, algo que não aconteceu na verdade por causa da Yang.

Em uma realidade April ficou grávida, mas não colega de barriga de Yang; na outra virou a chefe do trauma do hospital e ainda decidiu o futuro de Owen, muito medo desta realidade!

Meredith na segunda realidade decidiu com Derek adotar mais uma criança e sabiamente tem medo de que os seus três filhos façam um motim!

Bailey tornou-se uma doutora que apresenta um programa de saúde!!! Hilário ver Bailey toda contente na televisão falando sobre vitaminas!! Pior que isso não é tão difícil de acontecer.

Sem querer ser maldoso, mas diante do futuro longíquo em que a segunda realidade se passava, é difícil crer que Webber estaria não só vivo, mas também muito  bem fisicamente, usando apenas uma bengala.

Steph continuou sendo uma coadjuvante em todas as realidades.

Na cabeça da equipe criativa de Grey’s Anatomy para envelhecer os personagens basta colocar uma maquiagem pesada e alguns cabelos grisalhos …. só que não!

quatro

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s