1 comentário

The Blacklist – 1×16 – Mako Tanida

The_Blacklist_-_Episode_1.16_-_Mako_Tanida_-_Promotional_Photos_(9)_595_slogoPara uma série conseguir crescer e se estabelecer precisa, não obrigatoriamente,  ter um elenco com um número de integrantes que lhe dê a possibilidade de contar diferentes histórias para não torna-se repetitiva. The Blacklist até então foi uma história sobre Red e Lizzy, poderia muito bem continuar assim, mas sabia que tinha outros personagens que mereciam mais espaço como Ressler.

Um episódio que mostrou como a dor de perder alguém querido e a vontade de se vingar por isso podem modificar uma pessoa. O próprio criminoso da semana o japonês Mako Tanida um homem que foi preso enquanto os agentes do FBI procuravam o Red, o bandido oriental buscava vingança contra os homens que mataram o seu irmão; no seu próprio código de justiça a sua prisão era aceitável por ser o trabalho dos agentes, mas matar o seu irmão foi um ato sem motivo e que precisava ser vingado. Então Tanida escapou da prisão para ir atrás dos agentes que estavam no dia de sua prisão e morte seu irmão, uma vingança feita de uma forma que os culpados assumissem seus erros e se matassem; e a próxima vítima do japonês era o próprio Ressler!

Até este episódio pouco se sabia sobre Ressler, apenas que tinha uma relação antiga com Red a quem no passado caçou e também a existência de uma noiva a qual se se separou por causa de seu trabalho, após um tempo separados a moça chamada Audrey voltou para Ressler depois do dia que se machucou seriamente tentando salvar Red. Esta semana foi possível conhecer um pouco mais de Ressler além da imagem do agente durão e ver um lado seu mais humano após um evento que o mudará para sempre.   Com Ressler como protagonista principal o episódio teve um tom mais forte e menos sensível, muito por causa da presença menor de Lizzy que pela primeira vez foi coadjuvante.

Ressler tentou proteger Audrey sabendo que seria um dos próximos alvos de Tanida, infelizmente não conseguiu fazer isso quando a própria morreu pelas mãos do vilão da semana. Cooper e todos sabiam que Ressler não era do tipo de pessoa que ficaria trancado em um quarto chorando e sim tiraria da dor da perda de sua noiva a força e a raiva para se vingar. Interessante ver Ressler tendo que trabalhar com Red que colaborou com o agente desde o começo dando não só dicas para achar Tanida como até bons conselhos para não seguir o mesmo caminho de vingança que Red já trilhou no passado, mas o criminoso sabia melhor que ninguém que em um momento de raiva ninguém é capaz de parar um homem. Ressler não aceitou os conselhos e com ajuda de um agente também envolvido na prisão de Tanida foram atrás do bandido japonês; uma caçada fora da lei e com o único objetivo de matar o homem que tirou a vida de Audrey.

No meio desta vingança de Ressler, a história de Tom ganhou continuidade e alguns novos detalhes foram revelados. Jolene foi provocativa ao aparecer na casa dele e conversar com Lizzy, contando algo que a agente não sabia sobre seu marido unicamente para irritar Tom. O misterioso espião que aparentemente trabalha para alguém que manda na operação de Berlim; foi revelado também que Tom lutou bastante para conseguir ser o escolhido para ser o vigia de Lizzy; uma atividade que não parece gostar muito. Conhecemos também o esconderijo dele e o misterioso homem assumiu que todos aqueles passaportes falsos eram dele. A conversa de Tom com Jolene deixou no ar que a sua missão seja talvez descobrir o motivo do interesse de Red em Lizzy, ligando a vida de ambos para descobrir o que une os dois. Uma parte interessante foi descobrir o quanto Tom odeia Red e como queria matá-lo, mas que não podia fazer nada porque precisava ficar afastado de Red para que o criminoso não desconfiasse ainda mais dele. Red que colocou o seu próprio espião atrás de Jolene e Red decidiu que era hora de conversar frente a frente com Jolene, uma decisão que só piorou a situação.

Agora que a máscara de Tom caiu, é assustador ver como pode ser uma pessoa tão fria, coitada da Jolene que não ouviu o conselho do contratado de Red e acabou sendo morta assim como o espião do protagonista. Tom precisava tirar os dois do jogo porque estavam atrapalhando e poderiam estragar o seu disfarce, mesmo sem a confirmação sabe que foi Red que mandou o homem atrás dele e de Jolene; Red também sabe que foi Tom que matou os dois. Red pode usar isso contra o próprio Tom para tentar derrubar o disfarce dele e mostrar para Lizzy que estava certo desde o começo. A frieza de Tom é tamanha que foi capaz de fingir que nada estava acontecendo e tomou banho com Lizzy, que mesmo sendo uma agente experiente deixou escapar que o seu marido estava coberto de sangue, que erro Lizzy! A agente também caiu no golpe dele acreditando que Jolene tinha partido, Lizzy ainda revelou que gostou da notícia porque viu o olhar dela para seu Tom! Esta cena ainda teve uma brincadeira quando Lizzy referiu-se a Tom como “qualquer que seja seu nome”, mal sabe a agente que isso é a pura verdade.

O roteiro também teve uma das melhores reviravoltas da série com Lizzy e a equipe descobrindo sobre a morte do irmão de Tanida e como o agente amigo de Ressler tinha secretamente roubado e assumido os negócios de Tanida enquanto ele estava na prisão! A frase mais marcante do episódio foi quando Ressler afirmou que Red que era o seu maior inimigo foi o responsável por ajudá-lo a se reunir com Audrey e que o agente que era seu melhor amigo foi o responsável por separá-los. Se eu fosse Ressler teria dado logo um tiro na cabeça de Tanida e do agente do FBI, mas Ressler entendeu muito bem porque Tanida não tirava a vida de suas vítimas, Ressler também queria que o agente que era até então seu melhor amigo precisava se matar para pagar pelo que tinha feito.

Minutos de muita tensão quando Lizzy chegou para tentar evitar que Ressler matasse o outro agente e um forte susto quando Ressler descarregou sua arma na neve e não na cabeça do seu ex-melhor amigo, que finalmente tomou vergonha na cara e sabia que o que a morte melhora do que ir parar em uma prisão. Ressler chegou em casa e viu nas coisas de Audrey um teste de gravidez,  que só aumentou sua tristeza pela perda; o agente conseguiu completar parcialmente sua vingança, já que Tanida tinha escapado; puando Ressler parecia derrotado por ter deixado Tanida escapar recebeu de Red uma caixa com a cabeça do bandido oriental e um emocionante bilhete.

Como de costume Red foi sábio ao dizer na carta que sabia exatamente o que Ressler estava sentindo e o quanto a morte de Audrey irá ficar na sua cabeça e como todos os dias acordará pensando nisso até que um dia essa será a segunda coisa em que pensará; o que nada mais que dizer que nunca irá conseguir superar esta perda. Durante todo o episódio Red estava organizando uma apresentação de balé e até acreditei que fosse talvez um presente para Lizzy, mas foi algo ainda mais triste do que a morte de Audrey. Red era um dos financiadores principais do grupo de balé e anualmente na mesma data pedia uma apresentação exclusiva de O Lago dos Cisnes; a mesma peça que viu sua filha dançar quando era pequena há mais de 15 anos e que tinha até hoje guardado o convite daquela apresentação. James Spader deu mais um show de atuação e de emoçãoc com lágrimas nos olhos admirando o balé e lembrando de sua filha, enquanto a sonora do bilhete de Ressler personificava tudo que o protagonista sente sobre a insuperável perda de sua filha.

quatro_e_meio

Anúncios

Um comentário em “The Blacklist – 1×16 – Mako Tanida

  1. Alguém sabe a trilha sonora que toca no balé no final do episódio 16×1?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s