2 Comentários

Série Nova: Believe – 1×01 – Pilot

Believe - Season PilotEstreou essa semana Believe, série dramática da NBC produzida pelo prestigiado J.J. Abrams e o diretor Alfonso Cuarón que recentemente ganhou o Oscar de Melhor Diretor por Gravidade, Cuarón também assina a direção do piloto da produção escrita por Mark Friedman (A Volta dos Bravos). Reconhecidos nomes na indústria que ajudaram a criar uma grande expectativa para essa estreia e por isso após assistir o piloto é triste ver o potencial que está  série tinha para ser somente uma cópia de Touch, principalmente em suas falhas.

A trama acompanha Bo (Johnny Sequaya) uma menina que nasce com super poderes que vão mudar o mundo, isso é se ela continuar viva até amadurecer o bastante para dominá-los. Por cause de seus poderes Bo é caçada pelo milionário Skouras (Kyle MacLachlan, de How I Met Your Morther) que montou uma organização somente para capturar a garota. Bo é protegida por um grupo de pessoas liderada por Winter (Delroy Lindo, de The Chicago Code) com ajuda de sua parceira Channing (Jamin Chung, de Sucker Punch). Winter acredita que a pessoa certa para cuidar de Bo é Tate (Jake McLaughlin, da série Crash), um homem com um passado cheio de crimes e que é salvo por Winter minutos antes de ser executado por dois assassinatos que não teria cometido.

O piloto girou em torno de Tate tentando entender porque foi escolhido para proteger Bo e logo no primeiro encontro deles já sentiu algo especial na menina; quase metade da história foi dedicada na fuga e Bo e seus protetores de Moore (Sienna Guilory, de Resident Evil 5: Retribuição) contratada por Skouras para capturar a garota. Apesar de pouco explicado os infinitos poderes de Bo foram mostrados, algumas habilidades como controlar máquinas e animais, além da capacidade de prever o futuro e ler a mente das pessoas.

É preciso afirmar que Cuarón dirigiu o piloto de Believe antes de ganhar prestígio com Gravidade; é possível ver um pouco do seu estilo na série, como na cena de abertura do acidente onde coloca sua câmera bem próxima dando realismo e quando Bo usa seus poderes para chamar as pombas; onde fica a uma distância para dar o efeito que a cena precisa para ressaltar a beleza dos movimentos das aves. O diretor não acerta nas cenas de lutas do episódio que foram mecânicas e nada naturais. Cuarón faz o possível com o pífio roteiro de Mark Friedman que já tinha deixado uma péssima impressão com sua primeira série The Forgotten que durou apenas uma temporada em 2009. O roteirista cópia a fórmula usada em Touch e segue o estilo das produções da Abrams com uma história com um mistério a ser revelado ao longo da temporada.

As semelhanças com Touch são muitas; uma criança especial, só muda o sexo e um pouco dos superpoderes; como revelado no final do piloto Tate é o pai da menina e por isso é a pessoa certa para protegê-lo, assim como em Touch; além de claro uma organização que quer usar a garota para seus fins próprios. A diferença maior entre as séries são seus elencos Touch tinha bons nomes e o de Belie deixa bastante a desejar.

Apesar de carismática Sequoyah parece irritante demais logo na estreia, preferia o menino mudo de Touch; McLaughlin não é Kiefer Sutherland e sim um canastrão puro, não funciona nem nas cenas de ação e nas dramáticas, não parece entender o seu personagem; a química dele entre ele e Sequoyah até tem uma faísca de que ainda pode acontecer; Chung é nada mais do que o rosto bonito da história e Delroy Lindo é o mais experiente e um coadjuvante de luxo.

Não enxergue potencial algum para uma evolução na história e sim um enredo fechado demais e previsível.   que vai acontecer é simples, Skouras vai colocar um assassino a cada semana para capturar a menina e aos poucos será explicado porque ele e Winter tornaram-se inimigos; Bo ao longo do tempo vai aprender a usar seus poderes e ficará mais próxima de Thate que vai começar a gostar da sua filha; paralelamente ela ajudará semanalmente as pessoas que passarem pelo seu caminho.

Esta mesma fórmula foi usada quase de forma idêntica em Touch e o resultado foi desastroso, ambas as produções tinham argumentos promissores e que na hora de serem colocados em prática não funcionaram e demonstraram ser limitados demais.

Vai dar certo? Se Touch conseguiu a proeza de durar duas temporadas quem sabe o mesmo não acontece com Believe, ainda mais pelo investimento da NBC e os nomes por de trás da série podem ajudá-la a ter uma oportunidade para conquistar seu público.

Para quem gosta de…: séries sobre crianças especiais,  Touch,

O TV Cinema e Música irá acompanhar? Não, Touch já foi difícil de acompanhar, pior ainda uma cópia piorada dela.

dois

Anúncios

2 comentários em “Série Nova: Believe – 1×01 – Pilot

  1. Critica bem pesada essa, mas acho que melhor esperar. talvez eles aprenderam com touch oq não fazer em Believe

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s