Deixe um comentário

Being Human – 4×09 – Too Far, Fast-Forward!

NUP_157068_0244-600x398Too Far, Fast-Ford continuou os eventos da semana passada com a história nesta realidade alternativa que acabou sendo uma versão pior e mais triste do que da real.

A antiga versão monstro de Aidan ressurgiu ao reencontrar com seu criador Bishop, o milenar vampiro conseguiu até nesta realidade estragar a vida de seu filho predileto. Aidan foi monstruoso como seu criador tanto ao matar Ray como ao poupar a vida de Josh, porque conhece bem o seu ex-amigo e sabia que o lobisomem passaria a eternidade inteira se sentindo culpado pelas mortes de Ray e Sally. Pela maneira que aconteceu a morte de Sally nesta realidade não seria possível Josh e Aidan continuarem amigos, a própria fantasma acabou sendo a causadora da separação deles.

Mais um avanço de tempo desta vez de um ano chegando na época da gripe que quase exterminou os vampiros, este período desta realidade foi triste para todos os personagens. Aidan voltou a ser uma mera peça nas mãos de Bishop que como não morreu nesta realidade usou de todo seu lado mal para lucrar com a gripe dos vampiros vendendo o sangue limpo que Aidan trazia do hospital. O esquema desta vez no hospital envolvia não só Aidan como Nora que não teve um casamento muito longo e que após uma cirurgia nas costas tornou-se uma viciada em remédios; Aidan usou de ameaças e de forma nojenta o vício de Nora para forçar a médica a ajudá-lo no esquema de tráfico de sangue.

Já Josh vivia uma vida infeliz trocando de empregos, não entrando em relacionamentos por causa de ser um lobisomem, tendo apenas a companhia de Sally que preferiu ficar com ele do que com Aidan que partiu o seu coração ao revelar o seu lado monstro. Sally continuou a mesma cabeça dura e egoísta de sempre a ponto de possuir o corpo de Josh para pedir ajuda de Alana para achar Donna e tentar fazer com que tudo voltasse ao normal. O argumento de Josh de querer que Sally pare com essas suas viagens era certo, porque ele foi o maior prejudicado por essa mudança que Sally fez ao não morrer como deveria e tinha medo do quanto sua vida ficaria pior se Sally não cumprisse a promessa de que na outra realidade ele seria feliz com Nora.  Depois de ser possuído por Sally, Josh teve visões de como seria a sua vida e entendeu que precisava também superar a sua decepção pelo que não aconteceu com Nora. A despedida que fez dela a elogiando foi muito bonita, é difícil de saber o efeito que isso causou em Nora, mas quero ter esperança que isso pode ter sido o que faltava para ela também mudar e tentar superar essa sua atual fase ruim.

Certos eventos da nossa vida são aqueles que nos modificam e por mais que nos machuquem são essenciais para o nosso amadurecimento; assim como na realidade original nesta Aidan também precisava superar seu criador e matá-lo; se não tivesse feito isso acabaria como o outro vampiro sem dentes. A maneira que Aidan matou Bishop foi a que seu criador sempre mereceu através da traição daquele que considerava o seu filho perfeito; a morte de Bishop fez Aidan reestruturar seus pensamentos para não ter o mesmo fim que seu criador. Para Aidan a perda de Sally foi algo muito difícil de encarar e precisou deste tempo de luto para encará-la frente a frente e pedir perdão por tudo, porque sempre achou que foi o culpado pela morte dela; momento romântico que foi interrompido pelo retorno de Donna.

Sally e Donna criaram uma ligação eterna e a bruxa até nesta realidade quis conhecer essa fantasma que surgia em sua mente; o diálogo entre as duas foi bem menos agitado que esperava. A antiga Donna não aceitaria tão bem essa história de que no futuro se arrependeu dos seus pecados e achei que ela mudou de ideia fácil demais só por causa  que Sally contou. Esta parte do episódio foi prejudicada pela pressa em concluir essa história, porque tinha chegado a hora de Sally fazer com que tudo voltasse ao normal, mas seus amigos temiam o que poderia acontecer. Josh estava animado porque sabia que poderia ter a vida que viu nas visões de Sally, sem saber que no presente seu casamento com Nora vive uma crise. Aidan estava triste em perder as lembranças do seu relacionamento com Sally; a fantasma sabe que no fundo sempre amou Aidan, ficou sem saber o que fazer com o pedido do Aidan desta realidade  para que ela fizesse a sua outra versão lembrar o que passaram juntos.

Donna fez sua bruxaria e o roteiro teve uma leve pegadinha com Sally parando primeiro em uma realidade onde Aidan quebrou, literalmente, o pescoço de Josh, para somente depois ir para o seu mundo original. Quando Aidan apareceu com cara de assustado e um corpo sendo levado, pensei pronto Sally agora vai ficar presa em outra realidade, mas o corpo era de Robbie. Sally voltou a realidade por um preço muito alto para si mesma ao ver que Aidan não tem memória alguma sobre o que viveram juntos na outra realidade; Sally ficará entre guardar os seus sentimentos ou contar tudo que aconteceu para o vampiro.

A brincadeira da realidade alternativa de Being Human em seu segundo episódio deixou muito a desejar; a história de Aidan apesar de repetitiva foi razoável, e Josh nem teve importância na trama; o que decepcionou foi a rápida solução com Sally voltando fácil demais para a realidade correta. O saúdo só não foi negativo por causa do que Sally passou nesta outra realidade e que tem que servir como uma lição para que a fantasma pare de uma vez em usar seus podres.

Passados estes dois episódios especiais restam apenas mais quatro episódios para a história de Being Human acabar!

tres

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s