Deixe um comentário

The Following – 2×08 – The Messenger

the-following-the-messenger-episodeJoe é capaz de friamente e calmamente ser apenas um mensageiro de Micah esperando a hora certa de assumir o papel principal e tomar o culto dele, este é o plano dele e será uma tarefa fácil porque é preciso um narcisista consciente para derrotar um outro narcisista maluco.

O pedido de Micah para Joe torná-lo um assassino era esperado, Micah não deixaria outro homem mais inteligente que ele no seu culto sem ter um objetivo para isso; a cena na qual foi revelado que Micah já abrigou outros assassinos foi essencial para entender a procura dele por alguém que possa ajudá-lo em seu plano. O que difere Micah de Joe é que o primeiro é apenas um maluco que se acha genial, mas não tem controle sobre seus próprios desejos; Joe sabe quem é e o que quer, por isso nunca seria enganado por Micah.  O sonho de Micah de ser um novo Charles Manson é o reflexo de um homem narcisista mais do que carente por atenção que em sua mediocridade é capaz de enganar apenas estes jovens de mentes fracas.

Um culto liderado por um homem sem nexo e ideias, em um momento fala de religião e no outro que todos vão para outro planeta depois que salvarem muitas almas, o que é a desculpa para o assassinatos que pretende; Micah muda o seu próprio culto para a maneira que for melhor para seus planos para ficar famoso, o seu objetivo maior é somente ser o maior líder de um culto que já existiu, mas não tem capacidade nem de criar uma ideia sobre quem serão suas vítimas e é neste ponto que Joe começa a virar o jogo.

Para concluir este desejo precisa de Joe não só para ensiná-lo a matar como também para escrever sua história; Joe soube aproveitar isso e usando seu dom da manipulação conseguiu com pequenos gestos, como rezar ao lado de seu inimigo, ter Micah na palma de sua mão. Julia precisava ser tirada da equação, a esposa de Micah era como Lily inteligente e vingativa por isso Joe criou uma maneira de fazer com que Micah a esquecesse e confiasse apenas nele. A “comunhão” só poderia ser um ato criado por Joe que assim começa a segunda fase de seu plano que é fazer com que os seguidores de Micah acreditem no ato de matar outras pessoas, o que é mais um passo para trazer estes jovens inocentes para o seu lado.

O olhar de prazer de Joe e Emma ao ver os jovens morrendo foi o oposto da reação de Mandy que viu sua paquera ser uma das vítimas, não sei até quando a inocente menina vai aceitar essa situação e começar a ter noção no que se meteu, sendo atualmente o ponto fraco do plano de Joe. O novo passo de Joe é assumir para o mundo que ainda está vivo, o que vai atrapalhar ainda mais Ryan que agora finalmente tem recursos e uma própria força tarefa. O chefe do FBI Franklin teve finalmente a coragem de assumir o péssimo trabalho que sua agência estava fazendo e colocou Ryan no comando, desmontando o outro grupo liderado por Gina, pelo menos até que o nome do espião dentro da agência seja revelado, o que está mais perto de acontecer.

Na visão de The Following para Joe ser um especialista em anatomia o serial killer precisou ter tido um tutor e essa pessoa era Arthur, um médico que acolheu Joe quando pequeno e abriu os olhos para este mundo de assassinatos. Ryan demorou anos não só para desconfiar que Arthur sabia mais do que falava como também estava envolvido na criação do seu maior inimigo. The Following tem um defeito de às vezes não saber como introduzir novos personagens, como Carrie, uma jornalista sensacionalista que aproveitou a época que Ryan estava deprimindo e bebendo para descobrir o que ele sabia sobre Joe. A curiosidade matou o gato e isso quase aconteceu isso com Carrie que foi presa por Arthur e seu novo Joe ou melhor estudante, mas era óbvio que Ryan tinha que dar uma de herói e por pouco ambos não acabaram mortos; bastou Ryan voltar a trabalhar para o FBI para que começasse a fazer erros iguais ao da agência como ir sozinho na casa de Arthur.

Esperava mais do desenvolvimento de Mike depois do falecimento do seu pai, era meio que óbvio que ele iria atrás de vingança contra Lily, mas também nunca imaginei Mike virando um novo Ryan porque sabe que este não é o melhor caminho. Se não fosse Mike e Max, Ryan e Carrie teriam sido mortos, ainda mais claro que Mike vai atrás de Lily é que um clima está pintando entre ele e Max, um romance que talvez não fosse necessário. A introdução de Arthur é também questionável, Joe não necessitaria obrigatoriamente de um tutor e ainda mais um personagem caricato como este, o clássico professor assassino que quer passar seus desejos de sociopata para seus alunos; se algo de bom saiu desta parte foi Arthur dizendo que Joe nem foi o seu melhor aluno, é sempre engraçado ver como todo mundo sabe que Joe não é tão perfeito como imagina ser.

Outro ponto bem discutível foi que Ryan precisou ser vítima de uma jornalista sensacionalista e levar uma bronca da mesma para que acordasse e começasse a se reerguer; tudo porque ouviu da jornalista que Joe tinha ganhado a batalha; para um personagem tão forte Ryan às vezes parece bastante patético. Ryan ainda vai ter um longo tempo até conseguir virar o jogo e ter sua vitória contra Joe porque The Following foi renovada para sua terceira temporada; não custa sonhar que agora com mais uma temporada garantida os roteiristas de The Following deixem de ser preguiçosos e criem uma história melhor do que essa que está sendo até agora uma repetição da anterior.

tres

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s