Deixe um comentário

Switched At Birth – 3×08 – Dance Me to the End of Love

switched-at-birth-dance-me-to-the-end-of-loveQuando uma série decide fazer um episódio temático que foge bastante de seu estilo padrão é sempre algo perigoso e que pode dar muito errado. Switched at Birth ousou ao fazer um episódio com números de danças, uma proposta bastante corajosa para uma série sobre pessoas surdas e ainda mais em uma trama onde a dança nunca teve importância até esta temporada. Apesar do esforço dos envolvidos não gostei da maneira que a ideia foi colocada em prática, poucos números musicais funcionaram e muitas vezes pareceram desconexos com suas tramas, mas pelo menos alguns deles funcionaram muito bem.

Tanto Bay como Daphne compreenderam que nem sempre realizar um sonho é algo fácil, mas é ainda mais difícil não ficar tentada a desistir dele na primeira vez que algo não sai como o esperado. Após salvar a vida do Dr. Jackson, Daphne começa a pensar na possibilidade de torna-se médica, uma decisão bem difícil e que requer dedicação, ainda mais para alguém com surdez. Acho que Daphne está se levando pela empolgação e talvez precise repensar bem essa ideia, porque ela salvou o Dr. Jackson, mas mostrou um enorme receio na hora de enfiar a agulha dele.

Outra dificuldade que Daphne terá é a sua deficiência, para conviver com outras pessoas  ouvintes ela já precisa fazer um enorme esforço e como médica será ainda mais difícil. Jorge teve primeiro uma reação de um homem que foi trocado e primeiro tratou Daphne de forma estúpida quando ela só queria participar mais da clínica, mas depois voltou atrás de seu comportamento, mas a ajudou da pior maneira possível. Irresponsável da parte de Jorge colocar Daphne em sua primeira tarefa a responsabilidade de tratar de um menino, o qual tinha o sobrenome Arroyo assim como o meu, que não estava nada bem de saúde. Senti uma enorme aflição do menino tendo convulsão atrás de Daphne que não tinha noção do que estava acontecendo, apesar de exagerada é fácil entender a reação que a mãe do menino teve com o idiota do Jorge.

A dança de Daphne foi uma das piores do episódio, realizada dentro de um pesadelo misturando a questão da medicina e de Jorge e Campbell, uma cena que ficou bastante desconexa e que não funcionou. Daphne pelo menos se animou um pouco ao ouvir a história como o Dr. Jackson superou o preconceito contra sua cor quando entrou na faculdade de medicina; claro que não se compara uma pessoa negra com outra surda, mas valeu a intenção do Doutor para mostrar para Daphne que ela pode passar por qualquer desafio se realmente quiser.

Quem também precisou passar por um desafio pessoal foi Bay que ainda tenta lidar com a questão da sua lesão na mão direita, que já começou a atrapalhar sua arte. Concordo com a postura da professora de arte de Bay de pressioná-la a não colocar na sua atual lesão uma desculpa para deixar de criar coisas novas; a lesão deve impulsionar Bay a explorar novas maneiras de expressar sua arte.

Para variar Tank pode ser fofo e dançar bem, mas quem ajudou Bay foi Emmett que sempre sabe como animá-la. Muito fofa a história do homem que criou a falsa cidade para sua esposa; deste enredo saiu a dança de Bay, que estava muito linda com aquela roupa, mas a dança em si foi curta e comum demais, serviu mais como uma ligação com a ideia que Bay teve para fazer o zootrópio, claro também com ajuda de Emmett. Mesmo não tendo feito a arte Bay foi criativa e sensível em sua ideia sobre os movimentos de uma lembrança, que realmente não podem ser expressados em algo frio e parado, afinal a vida é feita de movimentos. Não será fácil para Bay superar essa sua atual lesão, mas também será bom para ela aprender a expressar sua arte de outras maneiras.

Bay dispensou ajuda e maltratou Angelo, que levou isso numa boa, mas Toby não deixou passar a presença dele e foi esperto ao usar o europeu para ajudar Travis a aprender a dançar; o que criou uma das boas cenas de dança com Angelo e Melody. Como já contei aqui eu tenho uma deficiência física e já senti isso que Travis estava pensando sobre Mary Beth estar deixando de fazer coisas que gosta por causa dele ser surdo, uma sensação muito ruim e por isso é compreensível a mentira dele sobre saber dançar. Diante do desastre como dançarino, Travis teve que contar a verdade para Mary Beth que fez uma emocionante declaração de amor para seu namorado e mostrou para ele que a sua surdez não é algo que irá atrapalhar o relacionamento deles e sim mostrar um novo mundo que ela está descobrindo e adorando.

O ator Lucas Grabeel, intérprete de Toby, lembrou o seu tempo de High School Musical neste episódio, ajudou o seu amigo Travis a dançar, mas não deu certo porque Travis não tinha talento algum para ser dançarino. Pelo menos Toby teve o seu momento solo dançando para comemorar a saída de seu pai de sua casa, uma dança totalmente inspirada na clássica cena de Tom Cruise dançando de meia em Negócio Arriscado.

Como venho escrevendo há semanas o que falta em Kathryn e John é um esforço maior de cada um; Kathryn está bastante confusa e nem ela realmente entende o que está sentindo, apenas sabe que não quer uma vida monótona e sim viver novas aventuras; como na sua cena de dança que se imaginou em uma apresentação de musical da Broadway, com Renzo roubando toda atenção que deveria ser dela! Desta vez fiquei com pena de John que está se esforçando para reconquistar Katryn, mas não sabe como fazer isso, um típico homem que ficou acomodado no relacionamento e não sabe mais agradar sua esposa, chegando ao ponto de dar pela segunda vez um colar para Kathryn!

John mais uma vez colocou a culpa nos outros, incluindo em Renzo que deu uma bela lição nele e o fez perceber que não podia ficar no lugar-comum e sim precisava fazer algo de diferente para salvar seu casamento! A melhor cena de dança foi a criada por John que teve uma ideia brilhante para fazer algo novo em um mero jantar familiar, tornando algo rotineiro em uma aventura cheia de surpresas! Essa foi a melhor cena de dança do episódio porque foi a mais autêntica e que se encaixou no contexto ficando bastante natural. Genial a montagem da cena com cada personagem dançando a sua maneira, destaque para os passos hilários de John, a animação de Renzo e a dança bizarra que Daphne estava fazendo!

Depois desta Kathryn não teve como continuar brava com John e o beijou com carinho ao ver como o seu marido se esforçou tanto para fazê-la feliz e viver uma experiência bastante diferente! Que este seja o reinicio de uma nova fase no casamento deles e que agora ambos continuem se esforçando para que nunca mais tenham uma crise como esta.

tres

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s