Deixe um comentário

Chicago PD – 1×05 – Thirty Balloons

Chicago PD - Episode 1.05 - Thirty Balloons - Promotional Photos (10)_595_slogo (1)O que seria da vida dos bandidos sem garotas adolescentes que se apaixonam fácil e fazem de tudo pelos seus namorados; como colocar 30 balões de camisinha com cocaína dentro de seu corpo!

Burgess e Hawkins foram atender o caso de uma garota que estava tendo uma reação maluca se cortando com uma garrafa tudo porque um dos 29 balões de cocaína que carregava estourou em seu estômago; a garota ainda conseguiu quebrar o carro novinho que Burgess e Hawkins tinham ganhado de presente da sargento e que não poderia ter um risco no final do dia. Se não bastasse a garota ter feito isso pelo seu namorado, ainda conseguiu convencer mais três amigas a fazerem o mesmo; sobrou para a equipe de inteligência correr contra o tempo achar as outras três garotas.

Voight ama Erin (parei de chamar ela de Lindsay) como uma filha, a conhece desde os 15 anos, mesmo assim sabe que ela não é perfeita, ainda mais quando se trata de relacionamentos. Acreditei inicialmente que o jeito grosso que ele falou com Halstead para se afastar de Erin fosse por ciúmes, mas não e sim porque não quer ver o detetive distraído quando ela terminar o relacionamento como já fez com outros namorados. O episódio mostrou um novo lado de Erin que é justa, íntegra, mas também é cabeça dura e não leva um desaforo; provocando e dando em cima ainda mais de Halstead só para irritar Voight e enfiar na cara dele que ela sabe ter um relacionamento estável; coitado do Halstead que está no meio destes dois. Halstead que viu com os próprios olhos o método nada correto de Voight para tirar a informação de um homem que poderia falar aonde estavam as garotas; jeito que apesar de violento sempre dá certo.

Olinsky quer o melhor para Ruzek e deseja fazer com que ele se torne um ótimo policial e especialista em operações infiltradas, algo que não vai acontecer até Ruzek separar sua vida pessoal de seu trabalho; por um lado não fala do seu trabalho para sua esposa, mas deixa a mesma interferir na sua carreira. Como já comentei vai chegar o momento que Ruzek vai ter que escolher entre sua noiva ou trabalho; não tem como os dois ficarem em sua vida.

Ruzek não tem paciência para ficar de tocaia em uma operação e quando chega a hora de agir faz isso sem pensar e por pouco não colocou tudo em risco; salvou sim a garota que estava prestes a ser cortada, porém isso poderia ter ocasionado na morte dele próprio e de Olinsky. Apesar de um pouco duro, Olinsky fez o certo de dar uma dura em Ruzek e meio que dispensar ele da equipe; quem sabe com este choque Ruzek acorde e comece a mudar e tome a decisão final do que quer da vida, ser um detetive ou ter uma vida de homem casado e com filhos; enquanto não aprender ajustar ambos em sua vida, ficará sempre tendo que escolher um ou outro.

Quem diria que Burgess e Hawkis salvariam o dia e pegaram o criminoso que estava fugindo, não esquecendo que se não fosse o seu parceiro a policial poderia ter morrido, mas isso é trabalhar em equipe. Tudo acabou relativamente bem com pelos menos duas das garotas vivas e a promessa de Voight de que os envolvidos no crime vão pagar caro por isso. Os dois policias tiveram um momento curto de felicidade pelo elogio que receberam de Voight; porque logo depois o carro que tanto custaram para concertar foi acertado por um tijolo, vai ter falta de sorte assim em outro lugar! Boas risadas com a sargento ameaçando os dois policiais dizendo que ainda ninguém tinha se machucado; está na hora dos dois policiais terem um pouco de sorte e também uma trégua com a sargento.

Halestead perguntou para Antonio se Voight era corrupto, o detetive latino preferiu ficar calado e dizer que o seu parceiro poderia tanto aprender como também manter distância do seu chefe. Antonio com sua postura correta é um alvo fácil para a corregedoria usá-lo contra Voight, mesmo assim o detetive também não é do tipo que traí os seus parceiros. Antonio agora está com o cartão da mulher que está doida de vontade para colocar Voight de volta atrás das grades; em algum momento o detetive ficar em dúvida entre trair seu chefe ou continuar quieto. Antonio que levou um fora histórico e hilário de Platt ao tratar a nervosa sargento como se fosse sua empregada.

A corregedoria chegou ao ponto de usar a própria equipe de Voight contra ele, porque o sargento está demorando demais para entregar Maurice para a corregedoria, começo achar que Voight voltou a ficar viciado no dinheiro fácil dado pelo traficante para ele. Maurice também não presta e ao pedir para ser solto por Voight ficou devendo mais um favor para o sargento; adorei quando Voight deu um soco nele por desrespeitar o policial. Voight pode ter outras coisas para se preocupar, mas em algum momento vai ter que entregar Maurice ou algo para a corregedoria ou vai perder sua liberdade.

Voight também está mais preocupado com seu trabalho e discretamente com Justin que não tem jeito e deve logo voltar para de trás das grades; Erin bem que está tentando controlar e ficar de olho nele, mas Justin também mistura amizade e uma certa paixão por Erin que não quer nada com ele e o considera um irmão. Apesar de ficar meio decepcionado com Erin pela maneira que lidou com Halstead e Voight; foi ótimo quando ela deu uma ameaça ao novo melhor amigo de Justin, que conseguiu um parceiro que só deve piorar a sua vida.

Um caso mais uma vez bem montado e com muita ação; sempre ligando as questões internas desta equipe tão diversificada.

 tres_e_meio
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s